PUBLICIDADE
Topo

Engenheiro baleado ao entrar por engano em favela será sepultado amanhã

Da Agência Brasil, no Rio

08/07/2013 17h18

O corpo do engenheiro Gil Augusto Barbosa, 53, que morreu neste domingo (7) após ficar 20 dias internado, em estado grave em um hospital do Rio, será enterrado nesta terça-feira (9) no cemitério Campo da Paz, em Campos dos Goytacazes, norte fluminense, onde sua família reside. O engenheiro foi baleado na cabeça no mês passado, quando entrou por engano no complexo de favelas da Maré, em Manguinhos, zona norte do Rio.

Segundo o delegado José Pedro Costa da Silva, da 21ª Delegacia Policial, encarregada de investigar o caso, os dois suspeitos que se apresentaram como autores do crime estão presos temporariamente no presídio Ary Franco. "Vamos pegar os fragmentos da bala que atingiu a vítima para um confronto balístico, a fim de descobrir qual das armas disparou contra o engenheiro", informou Silva. Ainda não há previsão de quando sairá o resultado dessa análise.

Gil Barbosa estava a caminho do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão-Antonio Carlos Jobim, onde ia buscar a mulher, que chegava de viagem. Quando recebeu um telefonema avisando que ela já estava em um táxi, voltando para casa, Barbosa, que passava na Avenida Brasil, errou o caminho, tentando encontrar um retorno, e entrou na Vila do João, no complexo de favelas da Maré, onde foi baleado.

Cotidiano