PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Dois morrem durante ações da PM no fim de semana em São Paulo

Do UOL, em São Paulo

28/10/2013 11h44Atualizada em 28/10/2013 19h29

Duas pessoas morreram no final de semana por disparos supostamente efetuados acidentalmente por policiais militares. Nos dois casos, ocorridos em bairros da periferia paulistana, as armas dos PMs foram apreendidas para perícia.

No sábado (26), foi morto durante uma perseguição de PMs a suspeitos no Parque Regina,  na região do Campo Limpo, zona sul da cidade, o cabeleireiro Severino Paulo de Oliveira Filho, 49. De acordo com vizinhos, a vítima residia no bairro há pelo menos 17 anos e foi atingida na varanda de seu salão durante quando PMs buscavam três suspeitos que fugiam em um carro Fiat Punto roubado.

O caso foi registrado às 15h30. Segundo a PM, as armas dos policiais envolvidos na ação foram apreendidas e encaminhadas para perícia.

“No cruzamento das ruas Leitão da Cunha e Baltazar Veloso da Silva, os infratores abandonaram o veículo e iniciaram fuga a pé, por uma viela. Pelo menos dois criminosos estavam armados, um deles com arma longa, e voltaram a disparar contra os policiais, que se defenderam, também efetuando disparos. Os criminosos conseguiram fugir”, diz a PM, em nota. “Em seguida, foi localizada a vítima Severino Paulo de Oliveira, com um ferimento produzido por arma de fogo. Severino foi atingido no ombro, mas o projétil transfixou, saindo no peito”, completa a nota.

Ainda conforme a PM, foi instaurado inquérito policial-militar para a apuração dos fatos, de modo que “uma análise preliminar das características do ferimento pode indicar que o disparo fatal partiu de uma arma com as características da portada por um dos criminosos, mas somente o resultado das investigações poderá efetivamente apontar de onde partiu o projétil que matou Severino”.

Jovem de 17 anos é morto na zona norte

O segundo caso ocorreu nesse domingo (27), às 14h, quando o jovem Douglas Rodrigues, de 17 anos, foi morto com um tiro no tórax ao ser abordado por policiais que verificavam ocorrência de som alto em uma rua do Jaçanã (zona norte). Ele chegou a ser socorrido a um Pronto Socorro local, mas não resistiu.

Revoltados, moradores da região fizeram um protesto no qual três ônibus e um veículo foram incendiados, além de lojas e agências bancárias que acabaram depredadas.

Conforme a PM, também a arma desse policial, que teria disparado acidentalmente, foi encaminhada para perícia. O PM foi autuado em flagrante por homicídio culposo (sem intenção de matar) e foi recolhido hoje ao presídio militar Romão Gomes, na zona norte da capital.

Cotidiano