PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Pai e madrasta foram a festa um dia após morte do menino Bernardo

Do UOL, em São Paulo

16/04/2014 16h05Atualizada em 16/04/2014 17h54

Testemunhas contaram aos investigadores do assassinato de Bernardo Uglione Boldrini, 11, que o pai do menino, Leandro Boldrini, e a madastra, Graciele Ugulini, foram a uma festa no dia seguinte à morte do garoto, informou o jornal "Zero Hora".

A festa ocorreu no dia 5 de abril no Clube Buricá, em Três de Maio, a 80 km de Três Passos, onde o casal mora.

Bernardo desapareceu no dia 4. De acordo com o pai, ele teria ido à tarde para a cidade de Frederico Westphalen com a madrasta para comprar uma TV. 

O corpo de Bernardo foi encontrado enterrado no último dia 14 em um matagal, dentro de um saco plástico, em Frederico Westphalen. O casal foi preso por suspeita de cometer o crime.

"Até então não sabíamos que o Bernando tinha sumido. Eles estavam alegres no camarote, bebendo, como todos estavam", disse Luana Alves da Silva, moradora de Três Passos, segundo o "ZH".

"Todo mundo sabia que o Bernardo ficava trancado para fora de casa e tudo mais. Toda a cidade sabia disso, mas digamos que o pessoal fechava os olhos", disse ela. 

Segundo o organizador da festa, Paulo Cavalcanti, o casal comprou ingressos para o camarote Lounge na hora, ao preço de R$ 60 por pessoa.

A delegada Caroline Bamberg, que investiga o caso,  disse que outras pessoas deram depoimentos semelhantes.

"Comentavam que eles estavam alegres, dando risada", disse a delegada ao "ZH".

Outro lado

Nesta quarta-feira (16), o pai do garoto se disse inocente e que estaria disposto a lutar para provar que não teve participação no crime, segundo um advogado que assumiu provisoriamente o caso.

O advogado Andrigo Rebelato, 36, é primo de Leandro Boldrini. Os dois se reuniram na prisão para discutir detalhes da defesa. Até a manhã de hoje, Graciele ainda não havia constituído advogado.

Cotidiano