PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Sem acordo, sindicato indica que greve do metrô deve continuar

Do UOL, em São Paulo

09/06/2014 18h46Atualizada em 09/06/2014 22h00

Terminou sem acordo a reunião entre o sindicato dos metroviários de São Paulo e o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, na Superintendência Regional do Trabalho, na tarde desta segunda-feira (9). O governo do Estado não aceitou a proposta de readmitir os funcionários dispensados após a greve ser considerada abusiva.

Agora, os metroviários devem decidir em assembleia se continuam a greve da categoria, que está em seu quinto dia e afeta 3,9 milhões de usuários do metrô.

"Vamos conversar com os trabalhadores. Há uma tendência de defender os trabalhadores demitidos. Se a greve continuar, pela lógica, o governo vai ter de demitir todo mundo", disse Altino Prazeres, presidente do sindicato dos metroviários.

 

O presidente da Federação Nacional dos Metroviários, Paulo Pasin, afirmou nesta segunda-feira que os grevistas do metrô de São Paulo aceitariam o reajuste de 8,7%  imposto pela Justiça do Trabalho no último domingo (8), mas os metroviários querem que a demissão de 42 grevistas seja anulada.

O governo recusou a medida e o governador, Geraldo Alckmin (PSDB), declarou que mais funcionários podem ser demitidos caso a greve seja mantida.

Para Luiz Antonio Medeiros, superintendente regional do Trabalho e Emprego de São Paulo, a culpa pela manutenção da greve, caso ela ocorra, é do governador, que não aceitou a reintegração dos demitidos. Medeiros dirigiu o Sindicato de Metalúrgicos de São Paulo e ajudou a fundar a Força Sindical. 

Segundo Medeiros, o Metrô já havia se mostrado favorável à reintegração de 40 funcionários --em dois casos, a empresa se recusou por se tratarem de pessoas que causaram agressões.

"Não houve acordo, não haverá readmissão em hipótese alguma. A greve está acabando, 77% das estações estão funcionando", disse Jurandir Fernandes.

Além das reintegração dos demitidos, os metroviários querem que os dias parados não sejam descontados. 

Raio-X dos Metroviários

  • 9.475 funcionários

    3.136 operadores, 1.206 manutenção, 1.147 seguranças, 1.016 técnicos

  • Piso

    R$ 1.323,55

  • Orçamento do sindicato

    R$ 5,5 milhões/ano

  • Data-base

    1º de maio

Negociações

  • Reivindicação dos metroviários

    12,2%, reivindicação anterior era de 16,5%

  • Proposta do governo do Estado

    8,7%, proposta anterior era de 7,8%

  • Decisão da Justiça

    8,7% foi o percentual decidido pelo TRT

  • Último reajuste concedido

    8%, ante INPC de 7,2%, no ano passado

Histórico de greves no metrô

  • 23.mai.2012

  • 2 e 3.ago.2007

  • 14.jun.2007

  • 15.ago.2006

  • 17 e 18.jun.2003

  • 25 e 26.jun.2001

  • 2.jun.2000

  • 9.dez.1999

  • 24.nov.1999

Cotidiano