Topo

Mãe diz que bebê foi sequestrado no Rio por falsa agente de talentos

Do UOL, no Rio

2014-08-27T09:12:41

2014-08-27T11:20:03

27/08/2014 09h12Atualizada em 27/08/2014 11h20

Um bebê recém-nascido foi sequestrado na tarde de terça-feira (26) em Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo a mãe da criança, uma adolescente de 17 anos, afirmou ao telejornal "Bom Dia Rio", da Rede Globo, a mulher que levou o bebê se passou por agente de talentos e ofereceu R$ 150 em troca da participação da criança em um programa de TV.

“Ela falou: 'Que bebê lindo'. Aí, falou sobre o negócio do teatro. Falou com a minha mãe, depois a minha mãe me cutucou, aí pediu o número para eu falar com ela, eu falei com ela, aí pediu meu nome e o meu telefone”, contou a jovem.

Mesmo desconfiada da proposta, a adolescente foi até o local indicado acompanhada pela cunhada. Lá, ela disse que passou mal, foi levada para um bar e deu o filho para que a mulher loira, de aproximadamente 35 anos, o segurasse. A loira estava acompanhada por uma adolescente de 17 anos que já foi identificada.

A chegada ao bar foi registrada por câmeras de segurança nos arredores, mas não há imagens do momento em que loira e a adolescente deixaram o local. Quando percebeu que o filho tinha sumido, a mãe correu pelo calçadão de Campo Grande até encontrar um policiais militares que patrulhavam o local.

"Quando a minha filha preencheu uma folha, ela pegou e saiu com o meu neto. Minha filha saiu correndo atrás dela, aí depois começou a gritar, gritar, mas aí ela sumiu com o meu neto", contou a avó do bebê, Cátia Maria Augusta, ao "Bom Dia Rio". Não há registro em imagens do momento em que, segundo a mãe, a mulher saiu correndo.

A Polícia Civil informou que já foram ouvidas a mãe da criança, a avó e a cunhada na 35ª DP (Campo Grande). A polícia refez o trajeto feito pela mãe da vítima e recolheu imagens na região para análise.

Os agentes devem realizar agora diligências para recolher mais imagens de câmeras de segurança instaladas na região, além de buscas no bairro. As testemunhas devem ajudar no desenvolvimento de um retrato falado. (Com Estadão Conteúdo)

Mais Cotidiano