PUBLICIDADE
Topo

Filho de Alckmin morre em queda de helicóptero na Grande São Paulo

Do UOL, em São Paulo

02/04/2015 21h56Atualizada em 04/04/2015 12h35

O piloto Thomaz Alckmin, 31, filho mais novo do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), é um dos cinco mortos na queda de um helicóptero em um condomínio de Carapicuíba, na Grande São Paulo. A informação foi confirmada pelo governo do Estado. O acidente aconteceu no fim da tarde desta quinta-feira (2). 

Auxiliares do governador disseram que Thomaz era um dos tripulantes. Além dele, morreram o piloto e três mecânicos de aeronaves. O helicóptero chegou a atingir duas casas - uma pronta, outra em construção -, mas ninguém ficou ferido em solo.

A Seripatri, empresa proprietária do helicóptero, disse que o "acidente ocorreu durante voo de teste, após a aeronave passar por manutenção preventiva".

De acordo com a Anac, o helicóptero modelo EC 155 B1, fabricado pela Eurocopter France, tinha capacidade para nove passageiros, foi adquirido em fevereiro pela empresa Seripatri - empresa da área de importações - e sua situação de aeronavegabilidade era normal. 

Em nota, a Seripatri lamentou o "trágico acidente". Além de Thomaz, ocupavam a aeronave o piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, 53, da Seripatri, "com mais de 30 anos de experiência", e o mecânico Paulo Henrique Moraes, 42, também funcionário da empresa. Também voavam os mecânicos Erick Martinho, 36, e Leandro Souza, 34, funcionários da Helipark, empresa de manutenção. 

De acordo com o programa "Brasil Urgente", da Band, a aeronave caiu 30 minutos depois de sair do heliponto de Carapicuíba, por volta das 17h. Os bombeiros deslocaram pelo menos dez viaturas para a rua Firmo de Oliveira, 8, dentro do condomínio Fazendinha.

"Virando de ponta cabeça"

Segundo um funcionário da portaria do condomínio, que viu a queda, a aeronave atingiu duas casas e danificou o telhado de uma delas. Parte do helicóptero ficou sobre a outra casa, ainda em construção. "O motor (da aeronave) está no banheiro dessa casa em obras", afirmou.

A maior parte dos destroços acabou caindo no chão, entre árvores. Quando chegaram ao local, bombeiros retiraram moradores e curiosos do entorno. De acordo com o funcionário, a perícia chegou ao endereço por volta das 20h.

Uma equipe do 4º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes (Seripa-4) foi enviada ao local para investigar as causas da queda da aeronave.

O acidente aconteceu a menos de cem metros da casa do produtor Bolinha, integrante do programa "Pânico na Band". Em entrevista ao "Brasil Urgente", ele contou que o helicóptero desceu "virando de ponta cabeça", totalmente descontrolado, e as pás da aeronave se quebraram antes que o aparelho se chocasse contra uma casa em construção.

Tiroteio e assalto

Thomaz era casado com a arquiteta Taís Fantato e tinha duas filhas - uma menina de dez anos e uma recém-nascida, de um mês. Segundo a rádio "Jovem Pan", o velório acontece a partir de 2h no hospital Albert Einstein, no Morumbi (zona oeste da capital paulista), e o enterro está marcado para as 14h em Pindamonhangaba, cidade natal do governador, no Vale do Paraíba.

Em fevereiro de 2014, Thomaz foi cercado por criminosos e acabou no meio de um tiroteio entre suspeitos e policiais que faziam sua segurança.

Ele levava a filha de volta para casa, à noite, na região do Morumbi, na zona oeste São Paulo. Estava em uma alça de acesso à marginal Pinheiros quando o carro à sua frente fez um cavalo de pau. Dele saltaram quatro homens que cercaram seu automóvel.

Os policiais da escolta saíram do carro que dirigiam logo atrás e deram ordem de prisão ao grupo. Os quatro suspeitos fugiram.

O ataque aconteceu próximo ao clube Paineiras, que fica perto do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual.

Thomaz e a neta do governador foram levados para casa após o ataque. O carro dos bandidos foi encontrado horas depois.

Em 2004, Thomaz foi vítima de um assalto quando andava de moto na marginal Pinheiros, na altura do parque Villa-Lobos (zona oeste). Na ocasião, ele tinha saído sem seguranças, quando foi abordado por bandidos.

Dois anos antes, um PM que fazia a escolta do filho do governador foi morto em uma tentativa de roubo ao carro de Thomaz na região da Vila Mariana (zona sul). Três pessoas foram condenadas pelo crime. (Com Estadão Conteúdo)

Acidente de helicóptero mata filho de Alckmin

Cotidiano