PUBLICIDADE
Topo

Sabesp diz que remuneração a diretores é inferior à de outras companhias

Do UOL, em Brasília

14/04/2015 06h00

Um dos principais mecanismos que permite o pagamento de bônus a diretores da Sabesp, a companhia de abastecimento de São Paulo, as metas estipuladas anualmente não foram plenamente atingidas em 2014. No ano passado, das sete metas definidas pela empresa, apenas três foram atingidas. Mesmo sem atingir as metas, a empresa pagou R$ 504 mil em bônus aos sete diretores da companhia. 

De acordo com o decreto que regulamenta o pagamento de bônus aos diretores da Sabesp, os valores devem ser repassados desde que a empresa obtenha lucro trimestral, semestral e anual. Além disso, é preciso que a companhia tenha sido capaz de distribuir dividendos aos seus acionistas e atingir um conjunto de metas definidos pela empresa. Os R$ 504 mil pagos em bônus aos diretores da estatal representam 0,02% do volume de recursos investidos pela Sabesp em infraestrutura em 2014 segundo dados da empresa. 

Uma das principais metas não atingidas pela empresa foi a que afere o lucro líquido da companhia. Para 2014, a meta era de um lucro líquido de 35% superior ao ano anterior, mas a empresa terminou o ano com alta de apenas 26%. Segundo a companhia, a crise hídrica foi a principal responsável pelo fato de a meta não ser atingida.

Ainda segundo o balanço de metas da empresa, a empresa deveria ter terminado 2014 com índice de 85% de satisfação do cliente. Segundo relatório da própria companhia, a empresa obteve 80% de satisfação.

O resultado, porém, foi “comemorado” pela companhia. No relatório de sustentabilidade da empresa, os diretores consideraram o resultado positivo, “pois demonstra que, em meio à crise hídrica que afeta todo o Sudeste brasileiro”, o cliente da concessionária “reconhece a dedicação e o empenho do corpo técnico da Sabesp”.

Outro índice não atingido pela companhia em 2014 foi o número de novas ligações de esgoto. A meta para 2014 era de 19,6 mil ligações, mas a companhia terminou o ano com apenas 6.200. Segundo o relatório da Sabesp, a meta não foi alcançada porque a empresa priorizou “esforços” na administração da crise hídrica e porque as ligações dependem da adesão dos clientes.

Outra meta não atingida pela empresa foi o índice de perdas de faturamento de água, que deveria ter chegado a 2014 com 24%, mas ficou em 21,3%. 

Questionada sobre o pagamento dos bônus a diretores da estatal mesmo sem o atingimento das metas estabelecidas pela companhia, a Sabesp, por meio de sua assessoria de imprensa, limitou-se a dizer que a remuneração dos executivos da companhia é “inferior à de outras companhias estaduais de saneamento” apesar de a Sabesp ser a maior companhia do Brasil no setor.

A reportagem do UOL perguntou à Sabesp sobre que metas apontadas nos relatórios da companhia precisariam ser atingidas para que os bônus fossem pagos, mas a companhia não respondeu ao questionamento. 

Cotidiano