Violência no Rio

Secretário de Segurança diz que morte de ciclista na Lagoa é "inadmissível"

Do UOL, no Rio

O secretário de Segurança de Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, classificou como "inadmissível" a morte do médico Jaime Gold, 56, esfaqueado durante um assalto quando pedalava na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul da cidade, na noite desta terça-feira (19). Em depoimento gravado em vídeo divulgado nesta quarta (20), Beltrame disse ainda que "um lugar como a Lagoa não pode, de maneira nenhuma, ser alvo desse tipo de atitude" por ser "um cartão-postal" do Rio.

"É lamentável, ou seja, mais do que lamentável, é inadmissível o que aconteceu ontem [terça-feira] na Lagoa Rodrigo de Freitas, um lugar querido por todos os cariocas, um lugar frequentadado pela população do Rio de Janeiro e pela população estrangeira, por todos os turistas que vêm ao Rio de Janeiro", declarou o secretário. "Não pode acontecer e se repetir cenas dessa natureza."

Nesta quarta, a Polícia Militar informou que o 23º BPM (Leblon) voltará a "reforçar" o patrulhamento policial no bairro, com o apoio da cavalaria da corporação e de homens do BPTur (Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas).

A reação à onda de violência que tomou conta de um dos principais cartões-postais da cidade é a mesma adotada depois que um jovem de 14 anos, atleta de remo do Flamengo, foi esfaqueado e teve sua bicicleta roubada, no dia 25 de abril. Houve registros de pelo menos outros três casos semelhantes no mês passado. A PM informou, na ocasião, ter reforçado as rondas diárias.

No vídeo divulgado pela Secretaria de Segurança, Beltrame afirmou que o antigo comandante do batalhão da PM foi retirado do cargo e substituído pelo tenente-coronel Joseli Cândido da Silva, "que já assume com a função de reposicionar todo o policiamento, com cavalaria e com bicicletas".

O secretário disse que o atual comando assume com a missão de proteger a Lagoa Rodrigo de Freitas. Ele informou ainda que Silva se reunirá nesta quarta com a Guarda Municipal do Rio, para "procurar ações conjuntas".

"As medidas de policiamento de reforço foram adotadas. Elas serão ainda mais complementadas a partir de hoje. Hoje, às 7h, eu fiz a supervisão aqui no entorno da Lagoa e pude identificar o policiamento postado em todo o entorno", declarou o tenente-coronel Joseli Cândido da Silva, em entrevista à "TV Globo". 

O comandante foi questionado três vezes se a PM faria, dessa forma, uma autocrítica em relação às medidas anunciadas anteriormente para combater a violência na região da Lagoas. O policial se esquivou da pergunta afirmando, novamente, que "novas medidas de policiamento serão adotadas".

Silva também argumentou que os arbustos podem fazer com que haja "alguma dificuldade de observar o policiamento". "O que eu posso compreender é que, de um plano superior e em uma região arborizada, realmente, você tem alguma dificuldade de observar o policiamento. Mas eles estavam postados no local desde as 6h", afirmou.

Em nota de pesar, o presidente da Comissão de Segurança no Ciclismo, Raphael Pazos, afirmou que a morte do médico era uma "tragédia anunciada". 

"A comissão já alertou e busca incansavelmente junto ao poder público e autoridades ações efetivas de combate aos roubos e furtos de bicicletas em nossa cidade. Fizemos inúmeros eventos de alertas inclusive no próprio local onde a tragédia ocorreu. Porém, até o momento, ainda estamos sem atendimento de nossas solicitações."

A 15ª DP (Gávea) abriu um inquérito para investigar o crime. De acordo com a polícia, imagens de câmeras de prédios da vizinhança serão analisadas com o objetivo de identificar os assaltantes. Um homem que trabalha em um posto de gasolina próximo ao local afirmou à polícia ter visto o momento em que o ciclista foi abordado. Nesta quarta-feira (20), o caso foi transferido para a Divisão de Homicídios, que realizou uma nova perícia no local.

Na tarde desta quarta, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), também se pronunciou sobre o crime, por meio de um texto divulgado no seu perfil no Facebook.

"É lamentável o que aconteceu com o ciclista na ?Lagoa?. Sentimos cada morte, cada bala perdida em qualquer lugar do nosso Estado", diz a mensagem. "Sabemos que ainda há muito para ser feito, mas vamos continuar trabalhando fortemente para trazer a paz para o Rio de Janeiro."

Ciclista levou três facadas no abdômen

Jaime Gold foi atacado por criminosos quando andava de bicicleta na altura da Curva do Calombo, nas proximidades do centro náutico do Botafogo. Segundo a Polícia Civil, o ciclista levou três facadas no abdômen. Os assaltantes fugiram levando bicicleta, carteira, celular e outros objetos da vítima, que foi golpeada mesmo sem reagir ao assalto.

Gold recebeu os primeiros socorros do médico Roberto Oberg, que passava pelo local. Inconsciente e perdendo muito sangue, ele foi depois levado pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, onde ainda chegou a ser submetido a uma cirurgia, porém não resistiu aos ferimentos.

Mensagens de alerta

A rotina de violência fez com que moradores da Lagoa afixassem mensagens ao longo da ciclovia para alertar sobre o risco de roubos e outros atos de violência na região: "O horário é por volta das 6h e 7h. Dois indivíduos abordam o ciclista, um deles portando ao menos uma faca, e levam a bicicleta, celular e demais pertences".

Os cartazes citavam o assalto sofrido pelo francês Victor Didier, 19, morador da Gávea, que pedalava pelo local quando foi atacado por ladrões nas proximidades do Jardim de Alah, no dia 19 de abril. O pai da vítima, Christophe Didier, afirmou que Victor foi golpeado com uma faca com "lâmina de mais de 30 centímetros", que atingiu os dois pulmões do jovem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Leia mais sobre a violência na Lagoa

UOL Cursos Online

Todos os cursos