RN: Atirador portava documentos sobre salários e tentou atingir procurador-geral

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

  • Divulgação

    23.mar.2017 - Imagens do circuito interno do Ministério Público Estadual captaram o momento em que Guilherme Wanderley Lopes da Silva, 44, deixou o prédio

    23.mar.2017 - Imagens do circuito interno do Ministério Público Estadual captaram o momento em que Guilherme Wanderley Lopes da Silva, 44, deixou o prédio

Duas pessoas foram baleadas em um ataque dentro do prédio do MPE-RN (Ministério Público do Rio Grande do Norte) na manhã desta sexta-feira (24), em Natal. Porém, o primeiro alvo do assessor Guilherme Wanderley Lopes da Silva, 44, era outro: o procurador-geral do Estado, Reinaldo Reis, que por pouco não foi atingido pelos disparos. Embora a causa do ataque ainda seja desconhecida e o atirador esteja foragido, já se sabe que ele portava documentos relacionados à equiparação salarial entre assessores do MP.

O atentado ocorreu por volta das 11h desta sexta, na sede da Procuradoria-Geral do Rio Grande do Norte, localizada no bairro do Tirol, zona leste de Natal. O procurador-geral adjunto Jovino Pereira Sobrinho e o promotor de Justiça Wendell Beetoven Ribeiro Agra foram atingidos por tiros e socorridos para o Hospital Walfredo Gurgel. Eles foram submetidos a cirurgias e o estado de saúde de ambos é estável.

Reinaldo Reis contou que o atirador chegou ao seu gabinete com alguns papéis e solicitou à secretária uma conversa com o procurador-geral. Porém, no momento em que a secretária abriu a porta para informar sobre a presença do assessor no local, ele adentrou atirando. O tiro disparado contra o procurador-geral passou por cima de sua cabeça e atingiu a parede, deixando um buraco na altura de cerca de 1,70 m.

"A abertura da porta é feita eletronicamente. No momento que ela abriu, ele já foi logo adentrando sem ser anunciado e disparando a arma de fogo. Foi um atentado pessoal, mas de cunho para mim, como o procurador-geral de Justiça. Ele apontou a arma para mim e atirou", relatou Reis. "Ninguém nunca teve problemas com ele".

Inconformado com salários

O Ministério Público Estadual informou que o atirador trabalha na 1ª Procuradoria de Justiça e cumpriu expediente pela manhã. Porém, por volta das 11h, saiu da sala e se dirigiu ao gabinete do procurador-geral, que estava em reunião com o procurador-geral adjunto e outros promotores.

O MPE informou que os documentos que estavam de posse do atirador relatavam inconformismo sobre equiparação salarial entre assessores, porém ele nunca tinha se manifestado contra algum colega de trabalho. O MPE também informou que o servidor nunca se afastou por motivo de saúde e desconhecia que ele poderia ter algum transtorno psiquiátrico.

Imagens do circuito interno do Ministério Público Estadual captaram o momento em que o atirador saiu do prédio. Ele estava vestindo calça jeans, blusa cinza e um casaco branco, onde escondia a arma. Ele teve acesso ao prédio sem passar pelo portal de detector de metal, pois é servidor do MPE. 

Reis contou que na fuga, o atirador confundiu os seguranças do local dizendo que um "homem estava atirando em todo mundo", na tentativa de despistar e fugir. Mesmo assim, o atirador ainda chegou a ser abordado por um segurança no estacionamento do MPE, já dentro do carro. Houve troca de tiros e Silva conseguiu fugir no seu veículo, um Polo Sedan, de cor prata, placas MZM-7254.

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte instaurou inquérito policial na 5º Delegacia de Polícia Civil para investigar as tentativas de homicídio efetivadas contra Jovino Pereira Sobrinho e Wendell Beetoven Ribeiro Agra. Testemunhas do crime e familiares do acusado já estão prestando depoimento sobre o ocorrido.

A Degepol (Delegacia Geral de Polícia) informou que equipes especializadas, como a Deicor (Divisão de Investigação e Combate ao Crime Organizado), com apoio de policiais militares e de policiais rodoviários federais estão em diligências na tentativa de prender o acusado do crime.

"Nós estamos apurando várias linhas de investigação que nos esclareçam a motivação. Porém, o mais importante agora é prender Guilherme Wanderley. Para isto, nossas equipes estão fazendo um trabalho apurado para identificar as rotas de fuga e as principais pistas que nos mostrem a localização do suspeito", afirmou o delegado geral da Polícia Civil, Claiton Pinho.

O delegado disse ainda que a arma usada nos disparos foi um revólver e que a polícia tem convicção de que o crime foi premeditado. "Nós temos certeza que este crime foi premeditado. Estamos em campo para efetuar esta prisão o mais breve possível e para tal, medidas cautelares já foram solicitadas para garantir a prisão de Guilherme Wanderley", destacou Pinho.

Estado de saúde dos atingidos

Jovino Pereira Sobrinho foi baleado no abdômen. Segundo o último boletim médico do Hospital Walfredo Gurgel, divulgado às 17h, ele foi submetido a uma cirurgia de laparotomia suturadora e está no Centro de Recuperação Pós-Operatório em estado de saúde estável.

Já Wendell Beetoven Ribeiro Agra, atingido nas costas, foi submetido a uma drenagem, pois teve disgnóstico de hemorragia. O procedimento foi satisfatório e finalizado às 17h. O hospital informou que a família de Agra solicitou a transferência dele para um hospital particular, que ocorrerá assim que a vítima se recuperar do estado pós-operatório.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos