PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Dezesseis pessoas são detidas em São Paulo durante protestos

Tochas e pregos distorcidos apreendidos pela polícia, em São Paulo - Reprodução/Twitter/PMESP
Tochas e pregos distorcidos apreendidos pela polícia, em São Paulo Imagem: Reprodução/Twitter/PMESP

Do UOL, em São Paulo

28/04/2017 13h29

A Polícia Militar deteve 16 pessoas nesta sexta-feira (28), na cidade de São Paulo, durante paralisações contra reformas do governo Michel Temer.

Segundo o secretário estadual da Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, seis dos manifestantes estavam portando estoque de gasolina, tochas e pregos retorcidos. As demais detenções teriam sido por agressão.

Seis pessoas foram levadas para o 65º Distrito Policial, em Artur Alvim, na zona leste da capital paulista, sendo três suspeitas e três testemunhas; outras seis pessoas, para o 92º DP, no Parque Santo Antônio, na zona sul; e quatro para o 33º DP, em Pirituba, na zona oeste.

Você é a favor da greve geral convocada para a sexta-feira (28)?

Resultado parcial

Total de 197241 votos
56,91%
41,52%
1,57%
Total de 197241 votos

Valide seu voto

A polícia está colhendo os depoimentos dos detidos, para registro de boletim de ocorrência. Dois policiais militares também foram feridos levemente em confronto com manifestantes, segundo a PM.

Nesta sexta-feira, houve bloqueios de vias e rodovias. Os ônibus não estão circulando em São Paulo desde a 0h e trem e metrô foram afetados, circulando parcialmente.

Governo defende reformas

Procurada, a Secretaria de comunicação da Presidência não quis comentar a mobilização. Em diversas ocasiões, Temer disse que as reformas são necessárias para o país voltar a crescer e retomar a geração de empregos. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, chegou a dizer que sem a reforma da Previdência o Brasil pode “quebrar”. Sobre a reforma trabalhista, Temer tem dito que é necessário modernizar as normas que regem as relações de trabalho.

Cotidiano