Deputado estadual é detido em blitz por embriaguez ao volante em SP

Janaina Garcia

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Alesp

    O deputado estadual Milton Leite Filho (DEM)

    O deputado estadual Milton Leite Filho (DEM)

O deputado estadual paulista Milton Leite Filho (DEM), 39, foi detido e encaminhado no final da noite dessa segunda-feira (19) ao 27º Distrito Policial por constatação de embriaguez ao volante. O parlamentar é filho do presidente da Câmara de Vereadores de São Paulo, Milton Leite (DEM).

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, por volta de 23h, o deputado foi parado em uma blitz policial da Operação Direção Segura, na avenida Roberto Marinho, próximo ao cruzamento com a avenida Luiz Carlos Berrini, na região do Brooklin, zona sul de São Paulo. Submetido ao teste do bafômetro, foi constatada a dosagem de 0,46mg/l, acima do limite de 0,05 mg/l tolerado pela Lei Seca. Ainda de acordo com a SSP, o parlamentar foi submetido a exame de sangue no IML (Instituto Médico Legal), mas o resultado ainda não foi divulgado.

O carro foi liberado e entregue à noiva do deputado, que o acompanhava. No DP, Leite Filho foi ouvido e liberado.

Em nota, deputado diz que "está tranquilo"

Por meio de nota encaminhada por sua assessoria, Leite Filho informou que retornava para casa, "do cinema", quando foi parado na blitz. A situação "acusou 2 (dois) números conflitantes, e devido a esta divergência, o deputado foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para realização de teste. O deputado Milton Leite Filho está tranquilo quanto ao resultado dos testes e afirma que confia no trabalho das autoridades para esclarecimento dos fatos", disse.

A assessoria do deputado informou que o veículo utilizado por ele durante a abordagem era de uso pessoal.

Na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), onde cumpre atualmente o terceiro mandato, Leite Filho preside a Comissão de Fiscalização e Controle da Casa.

Em 2005, outro filho do presidente da Câmara, o então estudante Felipe Leite da Silva, à época com 20 anos, foi preso sob a acusação de porte ilegal de arma. A PM informou, na ocasião, que ele havia sido flagrado com uma pistola com numeração raspada em uma blitz no Jardim Campo de Fora (zona sul de SP). O pai, que já era vereador, classificou como "um equívoco" o ato do filho. Segundo Milton Leite, o rapaz dissera ter comprado a arma por estar "apavorado por ter sofrido um sequestro relâmpago". Silva acabou absolvido pela Justiça.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos