PUBLICIDADE
Topo

Criminosos levaram cerca de US$ 5 milhões que iriam de Viracopos para Suíça, diz PF

A carga pertencia à empresa de valores Brink's - Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo - Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo
A carga pertencia à empresa de valores Brink's
Imagem: Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

05/03/2018 14h23Atualizada em 05/03/2018 20h07

A Polícia Federal informou, nesta segunda-feira (5), que os criminosos que invadiram a área de carga do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (93 km de São Paulo), na noite anterior, roubaram cerca de US$ 5 milhões (R$ 16,3 milhões) em espécie. Ninguém foi preso.

Segundo a PF, o dinheiro foi embarcado no aeroporto de Guarulhos (SP) e tinha como destino a cidade de Zurique, na Suíça. Antes de ir para a Europa, porém, o avião da empresa alemã Lufthansa fez uma escala em Viracopos. O motivo da parada não foi informado pela polícia. 

A Lufthansa confirma o assalto ao avião cargueiro de registro D-ALCF, mas diz, entretanto que o voo LH8263/04 não tinha parada prevista para Zurique. Segundo a companhia aérea, o avião sairia de Viracopos para Dacar, no Senegal, com destino final em Frankfurt, na Alemanha. Procurada, a PF diz que apura a divergência.

Na ação, pelo menos cinco homens armados com fuzis invadiram a área de carga do aeroporto de Viracopos e roubaram o dinheiro. Ninguém ficou ferido. Os criminosos usaram uma caminhonete Hilux com adesivos semelhantes aos da empresa responsável pela segurança do terminal.

A Polícia Federal abriu um inquérito para investigar a ação e periciou o local. Na delegacia da PF de Campinas, no bairro Guanabara, as testemunhas estavam sendo ouvidas nesta tarde. Pela manhã, foram coletados depoimentos de quem estava no local no momento do assalto. À tarde, foram ouvidos responsáveis das empresas que prestam serviços no terminal de cargas.

Um dos pontos que a investigação busca desvendar é porque a carga de dinheiro foi retirada do avião em Viracopos para ser transferida a um carro forte se seguiria destino na mesma aeronave.

As imagens do circuito de segurança estão sendo analisadas pela PF. A corporação pediu ao Aeroporto Viracopos que o conteúdo seja mantido sob sigilo.

Como foi o roubo

O roubo aconteceu por volta das 21h40 do domingo. O acesso ocorreu pelo Portão 18, que fica próximo ao Jardim Planalto, com acesso pela rodovia Santos Dummont. O grupo teria derrubado o alambrado para entrar com o veículo clonado.

As investigações sobre o assalto são lideradas pela Polícia Federal - Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo - Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo
As investigações sobre a ocorrência no aeroporto são lideradas pela Polícia Federal
Imagem: Denny Cesare/Código19/Estadão Conteúdo

Eles seguiram por uma estrada interna contornando a pista em direção ao terminal de cargas. Ao se depararem com uma viatura da segurança, renderam dois vigilantes do aeroporto. Quando o grupo chegou na pista, a carga estava sendo transferida do avião para um carro forte. Na fuga, dois portões foram destruídos. 

O grupo roubou o carregamento destinado à empresa de valores Brink’s. Em nota, a empresa “informa que está à disposição das autoridades para o esclarecimento dos fatos”, mas não explicou porque a encomenda estava sendo retirada do avião.

Também em nota, a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos S.A., que administra o terminal, indicou que "vai colaborar com as autoridades policiais para que o crime seja esclarecido".

Viracopos é o maior terminal de cargas do país. Ao todo, passaram pelo aeroporto 16 mil toneladas em janeiro deste ano. O setor de cargas expressas movimentou 484 toneladas no mesmo período.

Cotidiano