Topo

Após morte de Marielle, Prefeitura do Rio decreta luto de 3 dias

Do UOL, em Brasília

14/03/2018 23h37Atualizada em 12/03/2019 16h01

Após o assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSOL, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), decretou luto oficial de três dias na cidade.

A vereadora foi assassinada a tiros, na noite desta quarta-feira (14), no bairro do Estácio, no Centro do Rio. O motorista, que guiava o carro, também foi baleado e morreu. De acordo com as primeiras informações, Marielle voltava de um evento chamado “Jovens negras movendo as Estruturas”, na Lapa, quando um carro emparelhou e efetuou disparos contra o veículo dela. 

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), também em nota, disse que a cidade anoitece "desolada e amargurada".

“É com profundo pesar que lamentamos o brutal assassinato da vereadora Marielle Franco cuja honradez, bravura e espírito público representavam com grandeza inigualável as virtudes da mulher carioca. Sua trajetória exemplar de superação continuará a brilhar como uma estrela de esperança para todos que, inconformados, lutam por um Rio culto, poderoso, rico, mas, sobretudo, justo e humano. Em cada lar uma prece, em cada olhar uma lágrima e em cada coração um voto de tristeza, dor e saudade. É assim que hoje anoitece a cidade desolada e amargurada pela perda de sua filha inesquecível e inigualável. Que Deus a tenha!”

Em nota, o PSOL pediu apuração rigorosa dos fatos.

"O Partido Socialismo e Liberdade vem a público manifestar seu pesar diante do assassinato da vereadora Marielle Franco. Estamos ao lado dos familiares, amigos, assessores e dirigentes partidários do PSOL/RJ nesse momento de dor e indignação. A atuação de Marielle como vereadora e ativista dos direitos humanos orgulha toda a militância do PSOL e será honrada na continuidade de sua luta. Exigimos apuração imediata e rigorosa desse crime hediondo. Não nos calaremos!", diz o partido, em nota.

Mais Cotidiano