Violência no Rio

Vistoria em Bangu 3 termina com um celular e dezenas de ventiladores apreendidos

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

  • Divulgação/Secretaria de Administração Penitenciária

    A vistoria terminou apenas com dezenas de ventiladores e um aparelho de celular apreendidos

    A vistoria terminou apenas com dezenas de ventiladores e um aparelho de celular apreendidos

A vistoria feita por militares nesta terça-feira (27) na Penitenciária Gabriel Ferreira Castilho, conhecida como Bangu 3, na zona oeste do Rio, terminou apenas com dezenas de ventiladores e um aparelho de celular apreendidos.

Em nota, a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) disse que a movimentação das tropas federais e o cancelamento das visitas íntimas fizeram com que os detentos quebrassem pertences, criando dificuldades para as buscas.

Aparelhos de celular foram destruídos e os fragmentos lançados no sistema de esgoto, segundo a secretaria.

A operação contou com 220 homens do Exército e apoio do Batalhão de Engenharia, além de 120 inspetores de Segurança e Administração Penitenciária.

De acordo com a Seap, "a revista na Penitenciária Gabriel Ferreira Castilho ocorreu por se tratar de uma unidade prisional que abriga as lideranças de uma facção criminosa do Estado [o Comando Vermelho].

No mesmo momento em que ocorria a vistoria no presídio, 3.400 militares faziam uma operação no Complexo do Lins, na zona norte, região dominada pelo Comando Vermelho.

"Hoje [terça-feira] acontecia uma operação pelo Gabinete de Intervenção em áreas na cidade comandadas por essa facção. Então, seria importante uma atuação direta nessas lideranças para dificultar qualquer tipo de comunicação entre elas", diz a secretaria.

Na opinião do secretário estadual de Administração Penitenciária do Rio, David Anthony, o resultado foi positivo.

"A ação foi emblemática, sinalizando que o Estado tem ordem e comando. Outras fiscalizações acontecerão de forma sistemática e aleatória", afirmou Anthony em comunicado enviado à imprensa.

Cinco operações no Rio

A vistoria no presídio de Bangu 3 foi uma das cinco que ocorreram no Rio nesta terça-feira.

A principal foi realizada no Complexo do Lins, na zona norte, e fechou a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá por mais de dez horas e terminou com 24 presos, segundo o Comando Militar do Leste (CML).

Na região também foram apreendidos dez quilos de maconha, uma pistola calibre 9mm, um revólver 32mm, munições, oito rádios de comunicação, dez carros e 11 motocicletas utilizadas pelos traficantes.

Nesta terça-feira, inspetores do Gabinete de Intervenção Federal (GIF) também realizaram uma vistoria em três unidades de operações especiais da Polícia Militar. Os alvos foram os Batalhões de Choque (BPChoque) e Ações com Cães (BAC), além do Grupamento Aeromóvel (Gam).

O objetivo era identificar as necessidades logísticas das forças de segurança e encontrar soluções para aumentar a capacidade operativa de cada unidade.

Na Vila Kennedy, na zona oeste do Rio, cuja ação militar é considerada "laboratório" da intervenção, ao menos 80 homens das Forças Armadas estão mobilizados --a favela é patrulhada de forma permanente por militares desde o dia 10 de março.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos