PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Empresário reage a tentativas de roubo e mata 3º suspeito em cinco anos no RS

Homens invadem farmácia em Xangri-lá; um deles morreu após reação do dono da loja - Reprodução
Homens invadem farmácia em Xangri-lá; um deles morreu após reação do dono da loja Imagem: Reprodução

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL

25/04/2018 15h43

Um homem foi morto ao tentar roubar uma farmácia no litoral do Rio Grande do Sul na noite da última terça-feira (24). O comerciante, responsável pelo disparo, tem porte de arma, é instrutor de tiros e já matou outros dois suspeitos nos últimos cinco anos. O empresário foi liberado após prestar depoimento na delegacia da cidade gaúcha de Xangri-lá.

Na noite da terça, três homens entraram na farmácia na praia Rainha do Mar. Ao anunciarem o crime, o comerciante, 58, de nome não divulgado, reagiu com tiros.

Leia também:

“O primeiro deles tentou sacar a arma e, nesse momento, foi alvejado com um tiro no pescoço”, conta o delegado Roland Short, responsável pelo caso, ao UOL. “Os três fugiram e dois deles, que não estavam feridos, ainda conseguiram roubar um carro nas proximidades.”

Segundo o delegado, a dupla colocou uma arma na cabeça da vítima e a obrigou a conduzir o veículo até a Praia Atlântida Sul, em Osório, cidade vizinha.

Vitor Colombo, 25, foi encontrado morto a cerca de 150 metros da farmácia. Ele portava um revólver calibre 38 com cano reforçado, R$ 400 em dinheiro e entorpecentes.

O comerciante prestou depoimento na delegacia da cidade e foi liberado. O empresário responderá pelo homicídio sob a prerrogativa de legítima defesa. Esta é a terceira vez em cinco anos em que ele mata suspeitos que tentaram roubar seu estabelecimento comercial - os outros casos ocorreram em 2013 e 2016.

De acordo com o delegado, o homem portava uma pistola 380 registrada. “Ele é treinado, tem carteira de colecionador e é instrutor de tiro”, conta Short. “É alguém extremamente preparado para portar uma arma de fogo.”

“Como a farmácia dele é a única da cidade que fica aberta durante a noite, infelizmente ele tem de lidar com este tipo de bandido”, afirma o delegado. “Foi a terceira vez em que ele defendeu seu patrimônio e a sua vida.”

À reportagem, a Polícia Civil informa que está investigando os outros dois suspeitos com base em filmagens internas da loja. “O que podemos afirmar é que havia pelo menos duas armas de fogo: a do alvejado e a de um dos que conseguiram fugir e pegar o carro”, revela Short.

Cotidiano