PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Operação policial no Rio deixa ao menos 7 mortos, incluindo adolescente de 14 anos

Do UOL, no Rio*

20/06/2018 14h03Atualizada em 21/06/2018 13h15

Um adolescente foi baleado nesta quarta-feira (20) durante uma operação da Polícia Civil no conjunto de favelas da Maré, na zona norte do Rio de Janeiro e morreu horas depois, já no hospital. Outros seis homens foram feridos em uma troca de tiros com policiais e também morreram.

O adolescente Marcos Vinícius, 14, baleado no confronto, morreu na noite desta quarta. Ele foi atingido por uma bala perdida na barriga. O adolescente foi atendido inicialmente na UPA da Maré e depois transferido em estado grave para o Hospital Getúlio Vargas, onde foi operado. No entanto, o adolescente não resistiu e faleceu.

Segundo a direção do Ciep Operário Vicente Mariano, o adolescente foi atingido quando estava fora da instituição de ensino. A Secretaria Municipal de Educação também informou que nenhum aluno foi baleado nas dependências de escolas no Complexo da Maré.

A Polícia Civil afirmou que os homens baleados eram suspeitos e teriam reagido ao avanço dos policiais pelas comunidades da Vila do Pinheiro e da Vila do João, ambas na Maré.

A instituição informou ainda que foi encontrado "farto material bélico" em posse dos supostos criminosos, sendo quatro fuzis calibre 5.56 mm, duas pistolas, uma granada, entre outros materiais.

O Hospital Federal de Bonsucesso informou que cinco dos baleados deram entrada na unidade já mortos, confirmando versão anterior da polícia.

"O HFB (Hospital Federal de Bonsucesso) informa que, por volta das 11h desta quarta-feira, 20 de junho de 2018, deu entrada na Emergência da Unidade cinco homens não identificados, com idade aproximada entre 20 e 30 anos, vítimas de ferimentos por arma de fogo. Todos deram entrada já em óbito", informou o hospital por meio de nota.

Os tiroteios ocorreram durante ação realizada por delegacias especializadas da Polícia Civil, com apoio do Exército e da Força Nacional de Segurança. O objetivo é cumprir 23 mandados de prisão e "checar informações de inteligência na região". Até o momento, a instituição não informou quantas pessoas foram detidas.

Na operação, dois blindados do Exército são usados pela Polícia Civil, segundo o porta-voz do Comando Conjunto da intervenção federal, Carlos Cinelli. O UOL apurou que os blindados são usados para levar policiais para regiões mais perigosas da favela, que não foram ocupadas pelos policiais que avançam a pé. O objetivo é entrar em área "instável" para cumprir mandados de prisão antes que os suspeitos consigam fugir.

A organização Maré Vive, formada por ativistas e moradores da favela, afirmou em seu perfil no Facebook que um helicóptero da polícia sobrevoou a região em baixa altitude. Um vídeo publicado pela entidade mostra a aeronave na região.

O jornal "O Dia" afirmou que a operação estaria relacionada ao assassinato do policial Ellery Ramos de Lemos, chefe dos investigadores da Dcid (Delegacia de Combate às Drogas). Ele foi morto a tiros em Acari, outra favela da zona norte do Rio, na última terça-feira (12). Os policiais estariam procurando criminosos envolvidos no assassinato que teriam buscado refúgio na Maré.

Morte em favela de Copacabana

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida durante um confronto na manhã de hoje entre traficantes e policiais da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do morro Pavão Pavãozinho em Copacabana, na zona sul carioca.

As vítimas não tiveram os nomes divulgados. Todas foram levadas para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, também na zona sul. De acordo com a Polícia Militar, outras duas pessoas foram presas e encaminhadas para a delegacia. Uma pistola foi apreendida.

Desde as 6h30, policiais da UPP fazem uma operação em conjunto com o Grupamento de Intervenções Táticas da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) no Pavão Pavãozinho e no morro vizinho, o Cantagalo. Segundo a PM, o confronto começou após as equipes serem alvos de disparos na favela.

Além do Pavão Pavãozinho e do morro do Cantagalo, a PM também faz operação nesta quarta no Morro da Coroa, na região central da cidade. A polícia busca criminosos de facções rivais que travam uma disputa por territórios na região. Nesta terça (19), o bairro do Catumbi, próximo ao Morro da Coroa, foi surpreendido por uma intensa troca de tiros no fim da tarde.

*Com colaboração de Marcela Lemos

Cotidiano