PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Policial reage a assalto e mata um suspeito dentro de trem no Rio

Vidraça frontal do trem da Supervia ficou com marcas de disparos após a ação criminosa - JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Vidraça frontal do trem da Supervia ficou com marcas de disparos após a ação criminosa Imagem: JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

29/08/2018 09h34

Uma tentativa de assalto na manhã desta quarta-feira (29) deu início a um tiroteio dentro de um trem da SuperVia no Rio. Um suspeito morreu e um passageiro ficou ferido por estilhaços.

O caso ocorreu na estação de São Cristóvão, na zona norte do Rio, às 5h10, de acordo com a concessionária.

Leia também:

Segundo a Polícia Militar, no momento que os criminosos anunciaram o assalto, um policial que estava na composição do ramal Santa Cruz com destino à zona oeste da cidade reagiu e matou um dos ladrões. Outros dois conseguiram fugir, de acordo com a polícia.

mulher chora - JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Mulher chora após tentativa de assalto que terminou com um morto e um ferido no Rio
Imagem: JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O homem ferido foi identificado como João Nunes, 64. Ele foi atingido por estilhaços e recusou atendimento médico.

Em nota, a SuperVia informou que "a circulação dos trens não foi afetada pela ocorrência. Os intervalos e horários das partidas foram mantidos em todos os ramais".

A concessionária disse ainda que "a segurança pública é uma atribuição do governo do estado, que atua nos trens e estações por meio dos seus grupamentos militares”.

“A concessionária lamenta que a insegurança que atinge todo o estado seja também observada no sistema ferroviário, do qual dependem milhares de passageiros."

O trem foi levado para a Central do Brasil, onde passará por uma perícia.

Nas redes sociais, usuários do sistema de transporte comentaram a ação que terminou com o assaltante morto.

“No Rio tem tiroteio até dentro do trem. Como se trabalha depois disso?”, escreveu um internauta. “Gente, trem parado com um homem morto dentro”, postou outro usuário de redes sociais.

Neste mês, um assaltante que tentou roubar uma passageira com uma faca, dentro de uma composição do trem da SuperVia, foi encurralado e agredido por outros passageiros até ficar desacordado.

Em abril, uma mulher que não teve a identidade revelada, foi esfaqueada dentro de uma composição na estação Saracuruna, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Tiroteios em operações militares e da PM

Moradores de ao menos cinco comunidades do Rio voltaram a acordar com o som de tiros nesta quarta. Na terça-feira (28), foram registrados ao menos dez confrontos em comunidades que contam com UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora).

No Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio, onde as Forças Armadas realizam hoje operação com uso de blindados e navios de guerra, ao menos dois homens morreram em confronto com militares.

A Polícia Militar iniciou, por volta das 5h, operações nos morros do Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, e do Cantagalo, em Ipanema (ambas as comunidades se localizam na zona sul).

Um suspeito foi atingido na mão. De acordo com a PM, o homem --que não teve o nome divulgado-- participou de um ataque a policiais da UPP do Pavão-Pavãozinho, que buscavam drogas e armas na parte alta da comunidade.

Na Cidade de Deus, a troca de tiros também começou cedo. Por volta das 7h, moradores da comunidade já relatavam confrontos. "Hoje começou cedo. Mais um dia na CDD", disse uma moradora da favela, em uma rede social. Às 10h, o aplicativo Onde Tem Tiroteio voltou a alertar para novas trocas de tiros no interior da comunidade. Não há informações sobre feridos.

Na zona norte, as operações da PM se concentraram no Morro do Dendê, na Ilha do Governador. Os batalhões de Operações Especiais (Bope) e de Ações com Cães (BAC) realizam buscas no interior da comunidade desde as 5h, quando foram relatados os primeiros disparos na região. A PM informou que uma tonelada de droga foi apreendida.

Cotidiano