PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Rio: corpo de homem é deixado em carro na frente da faculdade de Direito da UFRJ

26.out.2018 - Corpo de homem foi abandonado em carro na frente da Faculdade de Direito da UFRJ na região central do Rio - Gabriel Sabóia/UOL
26.out.2018 - Corpo de homem foi abandonado em carro na frente da Faculdade de Direito da UFRJ na região central do Rio Imagem: Gabriel Sabóia/UOL

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

26/10/2018 14h34Atualizada em 26/10/2018 20h17

O corpo de um homem não identificado foi abandonado dentro de um carro em frente à FDN (Faculdade Nacional de Direito) da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), próximo ao Campo de Santana, na região central do Rio de Janeiro, por volta das 13h desta sexta-feira (26). A Polícia Militar cerca o local, que fica a menos de 300 m do Hospital Municipal Souza Aguiar.

Com ao menos uma perfuração provocada por arma de fogo nas costas, o corpo do homem, pardo e jovem, que estava no banco da frente do carro, foi retirado por peritos pouco antes das 16h. O local também fica na área da sede da Secretaria de Segurança e do CML (Comando Militar do Leste).

O veículo abandonado é um Renault Sandero branco e apresenta uma perfuração na parte traseira, ao lado da lanterna direita que, de acordo com PMs, pode ser de tiro.

Dentro do campus, era realizada uma aula pública contra o fascismo. De acordo pessoas presentes ao evento, agentes do Centro Presente estranharam o fato de um carro estar parado há mais de meia hora em frente ao campus e encontraram o homem morto no interior do veículo.

A aula pública da Faculdade Nacional de Direito não foi suspensa, apesar da movimentação de policiais em frente da universidade.

Presente no evento, a professora da UFRJ Luciana Boiteux, candidata a vice prefeita na chapa derrotada de Marcelo Freixo (PSOL) em 2016, relatou que o veículo já estava no local antes do início da aula pública.

"Estava com o pisca-alerta ligado, ninguém atentou para o fato de estar parado ou percebeu uma movimentação suspeita. De repente, a polícia cercou o local e a notícia se espalhou. Transferimos a aula para o interior do prédio para facilitar os trabalhos e por causa da chuva. Não suspendemos o ato porque, em princípio, não há uma ligação direta do caso com a aula", afirmou.

Policiais e fiscais de tribunais eleitorais desencadearam uma série de ações em universidades públicas por todo o país que despertaram reação da comunidade acadêmica e de entidades da sociedade civil. As medidas, na maior parte delas relacionadas à fiscalização de suposta propaganda eleitoral irregular, vêm acontecendo nos últimos três dias.

Após o fim da aula pública, mais de 200 estudantes saíram da FND em direção à Central do Brasil. A caminhada contou com faixas e bandeiras em defesa da educação pública e contra o fascismo.

Os estudantes gritam palavras de ordem como "TRE, pode prender, UFRJ não tem medo de você!", em referência à série de ações realizadas por tribunais eleitorais em universidades públicas. Para estudantes e integrantes da comunidade acadêmica, trata-se de censura.

Cotidiano