Topo

Em 6 horas, Rocinha e Vidigal tiveram mais chuva do que em dezembro inteiro

Rio: temporal provoca mortes e coloca cidade em estágio de crise

UOL Notícias

Alex Tajra

Do UOL, em São Paulo

07/02/2019 20h10

Entre 18h da quarta-feira (6) e 0h desta quinta, bairros cariocas como Rocinha e Vidigal registraram mais chuvas do que em todo o mês de dezembro, segundo cruzamento de dados do sistema Alerta Rio realizado pelo UOL:

  • Rocinha: choveu 164 milímetros em 6 horas; em dezembro inteiro, havia chovido 129,6 milímetros
  • Vidigal: choveu 161,2 milímetros em 6 horas -- 87% a mais do que em dezembro inteiro, quando choveu 86 milímetros

"Dependendo da direção que sopra o vento, a tendência é que as áreas montanhosas sejam as mais atingidas pela chuva, ou seja, chove mais em locais mais altos", diz ao UOL o meteorologista Felipe Vemado. 

O temporal que caiu sobre o Rio de Janeiro ontem deixou estragos em diversos pontos pela cidade e um saldo de seis mortos.

A chuva intensa castigou também bairros como a Barra da Tijuca, na zona oeste, Alto da Boa Vista, na zona norte, e Jardim Botânico, na zona sul. Em todas essas regiões, houve mais chuvas em poucas horas do que em todo o mês de dezembro. 

"Vivemos em janeiro um sistema de alta pressão, com muito calor e um aquecimento muito forte do oceano. Esse calor influencia muito nas águas do mar, e quando quebramos esse padrão de pressão, com a frente fria que chegou essa semana, o resultado são essas chuvas muito fortes", explica Vemado. 

Entre as vítimas das chuvas de ontem no Rio, houve duas pessoas que estavam dentro de um ônibus destruído pelo desmoronamento de uma encosta do Vidigal. 

Uma terceira pessoa morreu por causa da queda de um muro também no Vidigal. Outras seis pessoas foram resgatadas na comunidade. Na Rocinha, bairro que registrou o maior índice de chuvas nessa noite, um deslizamento de terra matou uma mulher. 

Crise maior que em 2018

O sistema Alerta Rio ainda traçou comparativos entre as fortes chuvas na última noite e o último estado de crise que o Rio de Janeiro viveu, em meados de fevereiro do ano passado. Enquanto neste ano os bairros recordistas foram Rocinha e Vidigal, no ano passado, Barra/Riocentro e Jacarepaguá foram os mais atingidos pela chuva, registrando 130mm e 129mm, respectivamente, num espaço também de seis horas.

Comparando o nível de chuvas dos bairros mais atingidos neste ano e no ano passado, houve um aumento de 25,56%. Paradoxalmente, a média de chuva levando-se em conta toda a cidade foi menor do que em 2018, com 58 milímetros contra 72 milímetros. O número foi puxado para baixo por conta dos indicadores de bairros onde praticamente não houve chuvas, como Irajá, Anchieta, Sepetiba e Saúde. 

Cotidiano