PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Confronto entre polícia e traficantes deixa 14 mortos em favelas do Rio

8.fev.2019 - Apreensão de armas em operação nas favelas Fallet, Fogueteiro e Coroa, na região central do Rio - Divulgação/Polícia Militar
8.fev.2019 - Apreensão de armas em operação nas favelas Fallet, Fogueteiro e Coroa, na região central do Rio Imagem: Divulgação/Polícia Militar

Marcela Lemos e Gabriel Sabóia

Colaboração para o UOL e do UOL, no Rio

08/02/2019 13h09Atualizada em 08/02/2019 17h11

Um confronto entre policiais e traficantes na comunidade Fallet Fogueteiro em Santa Teresa, na região central da cidade, e no Morro dos Prazeres, no Catumbi, na manhã desta sexta-feira (8) deixou 14 mortos, segundo informou a Secretaria Municipal de Saúde. De acordo com a PM, os mortos, cujas identidades não foram divulgadas, seriam suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas. A corporação diz que os corpos foram encontrados após a troca de tiros com policiais.

Eles chegaram a ser levados para o Hospital Souza Aguiar, no centro do Rio de Janeiro. Um homem ferido, que estava em estado grave na unidade de saúde, morreu na tarde de hoje, segundo a secretaria. Com isso, o total de mortos subiu para 14.

Segundo a PM, três fuzis, 12 pistolas, carregadores e granadas foram apreendidos em operação nas comunidades. A operação policial continuava em andamento por volta das 13h. O COR (Centro de Operações Rio) informou que a rua Itapiru estava interditada, por volta das 13h, em razão da operação policial e orientou a população a evitar a região.

Desde a madrugada desta sexta, equipes policiais atuam nas favelas devido a tiroteios na região provocados por disputa entre grupos criminosos. "A partir de denúncias e informações do Setor de Inteligência, foi feito vasculhamento em alguns pontos da comunidade do Fallet, nesta manhã", informou a corporação, por meio de nota. 

Segundo a PM, o confronto começou após policiais do BPChq (Batalhão de Choque) serem recebidos a tiros. Das vítimas, dez foram baleadas no Fallet Fogueteiro e duas no Morro dos Prazeres. Nesta última, policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais) apreenderam uma pistola calibre .40, uma pistola calibre 9 mm, dois rádios comunicadores e um aparelho telefônico após confronto com criminosos.

Mortes pela polícia aumentaram 36%

Entre janeiro e dezembro do ano passado, o Rio registrou 1.532 mortes por intervenção de agentes de segurança. O número é 36% maior do que o registrado no mesmo período de 2017, quando ocorreram 1.127 mortes desse tipo. De fevereiro a dezembro de 2018, a segurança pública do estado esteve sob intervenção federal.

O número expressivo de mortes verificado nesta sexta acontece depois de um grande debate iniciado na campanha eleitoral. O então candidato Wilson Witzel (PSC) defendeu o "abate" de criminosos que estejam portando fuzis. Ele defende o uso de atiradores de elite para este tipo de ação.

Comunidades vizinhas no bairro de Santa Teresa, na região central do Rio, as favelas da Coroa, Fallet e Fogueteiro possuíam uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) desde fevereiro de 2011. Em novembro passado, o Comando Conjunto da Intervenção Federal na segurança pública do estado retirou as bases da UPP local, em cumprimento à proposta de reestruturação do projeto.

A UPP se transformou em uma companhia subordinada ao Batalhão da Praça da Harmonia, no centro do Rio. Desde o ano passado, moradores da região passaram a conviver com tentativas de invasão de traficantes do Morro do São Carlos, no bairro vizinho do Estácio, comandado por uma facção rival --além dos frequentes tiroteios.

Tendo o Morro dos Prazeres como vizinho, as comunidades do Fallet e Fogueteiro fazem parte do conjunto de favelas de Santa Teresa --bairro que, de acordo com o Censo Demográfico de 2010 do IBGE, possui 40.926 habitantes.

Cotidiano