Topo

Ex-namorada, pai de pastor e servidora; veja vítimas de atirador da igreja

Stella Borges e Thiago Tassi

2019-05-22T17:00:30

22/05/2019 17h00

O ataque de Rudson Aragão Guimarães, 39, deixou quatro mortos e causou comoção em Paracatu (MG). Ele matou a ex-namorada e, em seguida, foi para a igreja batista Shalom, em que matou mais três pessoas e deixou um ferido. A primeira das vítimas foi Heloísa Vieira Andrade, com quem Rudson teve um relacionamento amoroso.

Ela foi morta pelo ex-namorado com um golpe de canivete no pescoço na casa da irmã de Guimarães, por volta das 19h, de acordo com informações da Polícia Civil. Heloísa era engenheira de alimentos, trabalhava com coaching e deixa dois filhos aos 59 anos, segundo uma amiga próxima.

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook
A engenheira era natural de Uberlândia, mas morava em Paracatu, onde dava treinamentos em empresas e palestras. Ao UOL, um parente da vítima, que preferiu não se identificar, contou ter recebido diversas mensagens de pessoas que teriam sido ajudadas por Heloisa. "Ela era uma mulher muito alegre. Estamos recebendo várias mensagens de solidariedade. De pessoas falando o quanto ela havia os ajudado", disse.

Segundo a delegada Thays Regina Silva, responsável pela investigação, o difícil relacionamento de Heloísa com Guimarães foi um dos fatores para a saída do suspeito da igreja, o que teria motivado o ataque da noite de ontem.

"O Rudson tinha uma posição de liderança, mas o comportamento agressivo dele não seria um bom exemplo para as pessoas na igreja. Ele passou a ofender o pastor e as pessoas ao redor o achavam agressivo e todos foram se afastando. Com isso, ele foi tirado dessa posição de liderança. Isso explica o motivo de o pastor ser o alvo inicial", disse a delegada.

"Não havia motivação em relação à Heloísa. Com ela é a questão de destituição na igreja, porque o relacionamento conturbado influenciou para a retirada dele dessa liderança na igreja", afirmou Silva.

Outra vítima da insatisfação de Guimarães com a saída da igreja foi Antonio Rama, pai do pastor Evandro Rama. Antonio foi assassinado dentro da igreja, logo após ter atingido por um tiro de raspão, enquanto o atirador ameaçava os fiéis. "Foi premeditado", explicou a delegada, dizendo que o pai do pastor foi o primeiro a ser morto na igreja. Evandro foi ferido no pé, mas conseguiu escapar na igreja e está hospitalizado.

Arquivo pessoal
Marilene Martins Melo Neves trabalhava em escola em Paracatu Imagem: Arquivo pessoal
Após matar o pai do pastor, Guimarães assassinou Rosangela Albernaz e Marilene Martins Melo Neves. As duas eram integrantes da igreja e participavam de um grupo de orações, quando o atirador invadiu o local.

Marilene, 53 anos, era casada e trabalhava havia mais de dez anos na cantina da Escola Municipal Coraci Meireles. "Era uma prima maravilhosa, educada, prestativa e muito família", disse Renato ao UOL, lamentando a tragédia.

Mais Cotidiano