Topo

Turista australiano fica embriagado, vai parar no Alemão e continua bebendo

Rene Silva (em pé) e Hugo Cary (sentado) - arquivo pessoal
Rene Silva (em pé) e Hugo Cary (sentado) Imagem: arquivo pessoal

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

19/08/2019 21h20

Hugo Cary viveu uma história capaz de impressionar amigos e familiares pelo resto de sua vida, mas talvez não se lembre dos detalhes. O turista australiano estava embriagado na última sexta-feira (16) quando foi parar no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Ele não soube explicar como chegou lá, mas aproveitou cada segundo e deu trabalho aos moradores do Morro do Adeus.

Preocupadas com o visitante que não entendia português, as pessoas da região procuraram Rene Silva, jornalista do "Voz das Comunidades", para intermediar o contato com Hugo. Às 16h08, ele recebeu as primeiras mensagens pelo Facebook: "Oi, boa tarde. Tem um americano perdido aqui no Adeus, na [rua] Arapá. Ele subiu e ninguém entende o que ele fala."

arquivo pessoal
Imagem: arquivo pessoal

Rene rapidamente chegou ao local e atuou como intérprete. "Eu cheguei lá e perguntei se ele era americano, e ele disse que era australiano. Ele vai ficar no Brasil por 10 dias, de férias, e disse que iria para outros lugares além do Rio de Janeiro. Perguntei o que estava fazendo ali, e ele disse que estava bebendo, se divertindo e fazendo amizades", contou ao UOL.

Hugo bebia sozinho e atraía curiosidade. "Tinha uns 15 moradores ao redor dele. Quando eu cheguei, os moradores pediram para eu ficar traduzindo perguntas sobre quem ele era, o que ele estava fazendo, como tinha chegado ali. Ele disse que não se lembrava. As pessoas em volta tentavam ajudar de alguma forma, colocaram o celular dele para carregar", acrescentou Rene.

O jornalista teve certo trabalho para convencer Hugo a pegar um Uber, mas enfim conseguiu. "Vi quais eram os endereços recentes no aplicativo dele, liguei para o hostel em Ipanema e perguntei se ele estava hospedado lá. Depois, outra voluntária da minha equipe ligou para o hostel para saber se ele tinha chegado bem", disse Rene.

A reportagem entrou em contato com Hugo, mas ainda não obteve resposta. Se isto acontecer, este texto será atualizado. No entanto, em um comentário publicado no Facebook, o turista fez questão de dizer que nunca chamou os moradores de "traficantes", ao contrário do que diz a história que circula na internet desde o fim semana. Ele é grato a Rene e aos "amigos da favela".

O turista australiano Hugo Cary passará por outros lugares além do Rio de Janeiro - reprodução/Facebook
O turista australiano Hugo Cary passará por outros lugares além do Rio de Janeiro
Imagem: reprodução/Facebook

"Ei, cara [Rene], obrigado pela ajuda com a tradução. Se você puder, contate os amigos da favela e agradeça pelos bons momentos e por me tratarem tão bem. Há pessoas realmente amáveis vivendo ali, e algumas crianças brilhantes. (...) Eu nunca me referi a eles como 'traficantes' ou 'criminosos', e me incomoda que alguns tenham usado estas palavras", escreveu.

"Na verdade, eu os descrevi como caras inteligentes que me trataram apenas com respeito. Obviamente, eles são caras perigosos, mas têm bons corações. Eu aprecio a amizade deles. Paz e amor", concluiu Hugo Cary, o australiano mais "carioca" do momento.

Mais Cotidiano