Topo

Bombeiros confirmam uma morte no desabamento do prédio em Fortaleza

Thiago Fernandes*

Do UOL, em São Paulo

16/10/2019 00h38Atualizada em 16/10/2019 15h14

Resumo da notícia

  • Frederick Santana dos Santos, 30, estava no mercado vizinho ao prédio
  • Edifício de 7 andares desabou na manhã de ontem em Fortaleza
  • Bombeiros continuam com o trabalho de buscas no local

O Corpo de Bombeiros do Ceará confirmou a morte de um homem no desabamento do edifício Andrea, em Fortaleza. O corpo de Frederick Santana dos Santos foi resgatado antes da meia-noite. Ele tinha 30 anos e trabalhava como entregador de água e estava no mercado vizinho que foi atingido pelos escombros.

Anteriormente, o Corpo de Bombeiros e a SSPDS (Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social) do estado chegaram a afirmar que o desabamento havia deixado um morto, mas as autoridades recuaram e passaram a dizer, por volta das 18h30, que não havia nenhuma morte confirmada.

Os bombeiros trabalham com a possibilidade de que outras oito pessoas possam estar soterradas.

"As famílias dos reclamados são informados com um boletim a cada 2 horas, e pelo que consta, nenhuma criança está no prédio", afirmou Eduardo Holanda, comandante-geral do Corpo de Bombeiros no Ceará.

De acordo com os bombeiros, o trabalho de buscas se concentra em cinco pontos identificados pelos cães farejadores. Nove pessoas foram resgatadas com vida.

Resgate manual

Segundo os bombeiros, o resgate de sobreviventes será feito manualmente nessas primeiras 24 horas após o desabamento.

Segundo o coronel Holanda, o uso de maquinário pesado ocorrerá só depois desse prazo. A complexidade desse resgate é maior, já que há possibilidade de pessoas com vida sob os escombros.

"São quase 300 homens envolvidos na operação, e não descansaremos até que o último reclamado seja resgatado", afirmou Holanda.

Ele diz que os bombeiros entram em "cada fresta, em cada espaço, dentro da pilha de escombros" em busca de sobreviventes.

Noite a dentro, mais dois dias

Os bombeiros estimam também que o trabalho de resgate durará ao menos dois dias.

"Vamos ficar 24 horas por dia na operação e vamos ficar até resgatar todos dos escombros", afirmou o comandante Eduardo Holanda.

"A gente procura fazer muito silêncio no local para tentar ouvir as vítimas. O maquinário pesado ainda não é indicado por criar uma instabilidade e pode ocorrer um novo desabamento. A gente vai esperar pelo menos 24 horas para entrar esse maquinário", afirmou.

No hospital

O hospital IJF (Instituto José Frota) informou que recebeu três vítimas do desabamento. São elas:

  • Cleide Maria da Cruz Carvalho 60;
  • Maria Antônia Peixoto, 72
  • Gilson Moreira Gomes, 53.

*Com informações de Aliny Gama, colaboração para o UOL em Maceió, e Daniel Herculano, colaboração para o UOL em Fortaleza

Peritos investigam causas de desabamento em Fortaleza

Band Notí­cias

Cotidiano