PUBLICIDADE
Topo

Peão é morto a tiros em festa universitária no interior de SP

Peão foi morto no fim da festa - Acervo Pessoal
Peão foi morto no fim da festa Imagem: Acervo Pessoal

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

11/11/2019 16h52Atualizada em 11/11/2019 18h59

O peão Luiz Felipe Madureira Pereira, 23, morreu baleado com um tiro na cabeça, durante uma festa universitária, na madrugada de ontem, em Pompeia, interior de São Paulo. Outros dois jovens também foram atingidos e não correm risco de morte. O autor dos disparos está foragido.

Segundo a Polícia Civil, o crime teria acontecido já no fim da festa, depois de um desentendimento entre Luiz Felipe e o suspeito, um homem que trabalhava para a empresa que fornecia bebida para a festa. O suspeito é segurança e tinha uma arma no carro.

"Estava chovendo e os jovens estavam todos na varanda da chácara onde era realizada a festa. Ainda não sabemos o motivo, mas houve uma discussão. O Luiz Felipe e um amigo teriam se desentendido com esse rapaz. O suspeito teria ido até o carro e pegado a arma e atirado nos jovens", afirma o delegado Cláudio Anunciato Filho.

Luiz Felipe foi atingido com um tiro na cabeça e morreu no local. Paulo Afonso da Silva Serrano, 19, foi acertado de raspão na cabeça e no abdômen. Ele passou por atendimento médico no Hospital das Clínicas, em Marília, e já teve alta.

Um terceiro jovem que também estava na festa e que não teria envolvimento na confusão foi atingido por estilhaços de uma bala na perna. Ele recebeu atendimento na Santa Casa de Pompeia e foi liberado em seguida.

O autor dos disparos já foi identificado pela polícia, porém está desaparecido.

"Ouvimos sete testemunhas, além dos dois jovens que também foram vítimas. Acreditamos que o suspeito está escondido próximo daqui", diz o delegado.

A festa em que os jovens estavam foi realizada em uma chácara na área rural da cidade. Ela foi organizada pelos próprios alunos universitários. "Essas festas são comuns na cidade. Os alunos que moram em repúblicas sempre organizam esses eventos, já que na cidade não pode fazer barulho até tarde", explica o delegado.

Segundo familiares, Luiz Felipe tinha o sonho de ser peão profissional. Atualmente, ele disputava categorias amadoras. O corpo dele foi enterrado na manhã de hoje no Cemitério Municipal de Pompeia.

Cotidiano