Topo

PI: Família diz que jovem morreu após explosão; polícia investiga homicídio

Hospital Regional Tibério Nunes - Secretaria de Estado da Saúde do Piaui/Divulgação
Hospital Regional Tibério Nunes Imagem: Secretaria de Estado da Saúde do Piaui/Divulgação

Aliny Gama

Colaboração para o UOL

14/11/2019 12h22

A família de um adolescente de 16 anos afirma que ele morreu na madrugada de hoje com ferimentos causados por explosão de máquina de fazer tatuagem. Segundo familiares, ele estava sozinho manuseando o aparelho em casa, na cidade de Floriano, no Piauí, quando a máquina teria explodido. A polícia investiga se o adolescente foi vítima de homicídio, pois exames realizados no hospital apontam que a lesão é compatível com tiro de arma de fogo.

O adolescente foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para o Hospital Regional Tibério Nunes, por volta das 21h30 de ontem, mas não resistiu aos ferimentos e morreu, às 2h45 da madrugada de hoje. Ele estava com uma grave lesão na região da cabeça.

A família do adolescente alegou ao hospital que os ferimentos do rapaz foram causados por uma explosão enquanto ele usava uma máquina de fazer tatuagem, pertencente ao padrasto dele. Entretanto, exames realizados na cabeça do adolescente apontam que a lesão é compatível com ferimento causado por tiro de arma de fogo. O hospital afirma que não há queimaduras no corpo do adolescente que apontariam a suposta explosão.

A delegacia de polícia de Floriano foi informada sobre a morte suspeita do adolescente e investiga o caso. O corpo do adolescente deverá ser encaminhado para o Instituto Médico Legal de Teresina para ser submetido à necropsia, que apontará a causa da morte com exatidão.

A Polícia Civil informou que a principal suspeita é que o adolescente tenha sido assassinado e não tenha tido morte acidental. A polícia está fazendo perícia criminal no local da suposta explosão e colhendo informações preliminares com familiares e vizinhos do adolescente.

Testemunhas do caso serão intimadas para prestar depoimento ao longo da semana. Segundo a polícia, o adolescente tem passagem pela polícia por ter cometido atos infracionais análogos a roubo.

O UOL tentou localizar a família do adolescente, na manhã de hoje, mas não conseguiu. Ainda não se sabe quando o corpo dele será liberado para velório e enterro.

Cotidiano