PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro tem recorde de mortes cometidas por policiais na história

Wilson Witzel (PSC), governador do Rio, usa farda do Bope e simula ação de sniper - Reprodução
Wilson Witzel (PSC), governador do Rio, usa farda do Bope e simula ação de sniper Imagem: Reprodução

Igor Mello

Do UOL, no Rio

25/11/2019 14h42

O estado do Rio de Janeiro registrou em 2019 o maior número de mortes em confronto com as polícias de sua história, mostram dados do ISP (Instituto de Segurança Pública) divulgados nesta segunda-feira. Entre janeiro e outubro deste ano, agentes de segurança mataram 1.546 pessoas — superando as 1.534 mortes por intervenção policial registradas em 2018, maior número registrado até então. A estatística é compilada desde 1998 pelas autoridades fluminenses.

Desde o início do ano, as forças policiais do Rio vem matando, em média, 5 pessoas por dia. Se mantiverem o nível de letalidade registrado até aqui, devem chegar ao patamar inédito de 1.800 mortes. Atualmente, uma em cada três mortes violentas ocorridas no estado são cometidas por agentes da lei.

Desde a campanha eleitoral de 2018, o governador Wilson Witzel (PSC-RJ) vem defendendo uma política de confronto contra o tráfico de drogas. Em diversas oportunidades, o governador defendeu o "abate" de criminosos portando armas de uso restrito, como fuzis. Também vem defendendo o uso de snipers para matar criminosos.

Homicídios caem 20,9%

Seguindo a tendência nacional, o Rio vem registrando queda no número de homicídios dolosos. Até outubro, foram 3.342 vítimas, uma queda de 20,9% em relação aos 4.226 casos no mesmo período de 2018.

Se considerado o indicador letalidade violenta —que soma os registros de homicídios dolosos, mortes por intervenção policial, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte— a redução foi de 12,5%: de 5733 vítimas em 2018 para 5017 em 2019.

Em dez meses, estado tem mais de 100 mil assaltos

Os dados do ISP ainda revelam que, embora tenham tido uma ligeira queda, os assaltos ainda são uma rotina para os fluminenses. Nos dez primeiros meses deste ano houve 103,9 mil registros de roubos de rua —indicador que engloba roubos a transeuntes, a coletivos e de celulares. Entre janeiro e outubro de 2018 foram computados 110 mil casos.

Os roubos de carga, que agravaram a crise econômica do estado nos últimos anos, tiveram queda de 17,5%: de 7669 casos em 2018 para 6325 neste ano. Já os roubos de veículo caíram 23,9% (de 44.211 assaltos para 33.652)

Cotidiano