PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
7 meses

Irmãos morrem eletrocutados ao soltar pipa em São Gonçalo, no RJ

Shutterstock
Imagem: Shutterstock

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

14/01/2020 09h50Atualizada em 14/01/2020 13h16

Resumo da notícia

  • Caso ocorreu na cidade de São Gonçalo, por volta das 17h30 de ontem
  • De acordo os Bombeiros, as crianças foram atingidas por um cabo de alta tensão
  • A Enel Distribuidora Rio disse que enviou uma equipe ao local, mas foi impedida de acessá-la
  • A concessionária interrompeu o fornecimento de energia no local remotamente

Dois meninos morreram eletrocutados no fim da tarde de ontem na cidade de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, enquanto soltavam pipa. O caso ocorreu por volta das 17h30, no bairro Portão do Rosa, na comunidade da Cerâmica. De acordo com o Corpo dos Bombeiros, as crianças tinham 14 e dois anos de idade e foram atingidas por um cabo de alta tensão.

O quartel da área foi acionado para socorrer os meninos. Eles foram levados ao hospital Alberto Torres, no Colubandê, mas não resistiram ao choque elétrico. Rogério Ramos, tio-avô das crianças, afirmou que os dois meninos eram irmãos. Ele contou que o caçula foi atingido primeiro por um cabo de alta tensão e o mais velho, ao tentar socorrê-lo, acabou eletrocutado. Ao todo, cinco irmãos brincavam no campinho perto da casa da família, de acordo com o parente.

Em um vídeo que circula na Internet, é possível ver o fio de alta tensão sobre o corpo das crianças no momento do choque. No vídeo, é possível ouvir pessoas gritando no fundo e ainda o barulho do fio desencapado.

"Segundo os vizinhos, o fio está pendurado há mais de um mês, foi pedido reparo e não tinha sido resolvido (...) A pipa bateu nesse fio arrebentado e caiu em cima do Caio. Meu outro sobrinho, sem ter consciência do que estava acontecendo, tentou retirá-lo. Estavam os cinco brincando. Foi um milagre não ter morrido os cinco. Foi Deus que não permitiu que um fosse tentando tirar o outro. Os cinco eram muitos agarrados. Um cuidava do outro", disse o tio-avô Rogério Ramos.

Milton Gonçalves de Oliveira, outro tio-avô das crianças disse que a mãe das crianças está sob efeito de remédios e que ela precisou ser medicada ontem e hoje na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da região.

"A união deles [das crianças] era tão grande que o Caio [mais novo] chamava o Cauã como pai. Ele morreu sendo pai. Ele fez o papel que qualquer pai faria. Com a permissão de Deus, os outros três não tiveram força para socorrer os irmãos. Deus não deixou os outros três chegarem perto".

Procurada, a Enel Distribuidora Rio, responsável pela distribuição de energia na região, disse que "lamenta profundamente" o incidente e que enviou uma equipe para a comunidade, que foi impedida de acessá-la.

"Por medida de segurança, a concessionária interrompeu o fornecimento de energia no local remotamente. A concessionária acrescenta que vai prestar apoio aos envolvidos e seus familiares, enquanto apura as circunstâncias do acidente", informou a empresa por meio de nota.

Os corpos das crianças estão no IML (Instituto Médico Legal). A família está no local para realizar a liberação. Ainda não há informações sobre o enterro.

Cotidiano