PUBLICIDADE
Topo

João Pessoa: homem reage a assalto e mata ladrão com golpe por asfixia

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

13/01/2020 19h09

Um homem que presenciou uma tentativa de assalto aplicou um mata-leão e matou o suspeito, por asfixia, na noite de ontem, em João Pessoa, segundo ele mesmo admitiu à polícia. O caso ocorreu próximo a um ponto de ônibus na avenida Epitácio Pessoa, no bairro da Torre. O homem foi liberado pela polícia, porque o delegado entendeu que ele agiu em legítima defesa e não teve a intenção de matar o assaltante. O caso, porém, ainda pode ser qualificado como homicídio culposo.

Segundo a polícia, o suspeito de assalto chegou de bicicleta e armado com um facão e tentou roubar a bolsa e o telefone celular de uma mulher, que estava próximo ao ponto de ônibus. Um dos homens que também esperavam um ônibus reagiu à ação e deu um mata-leão no suspeito, que morreu ao cair na calçada.

"Ele estava no ponto e uma senhora esperava o ônibus, um pouco mais afastada, quando o assaltante a abordou", contou o delegado Ademir Fernandes, plantonista da Delegacia de Homicídios que foi até o local do crime.

Após aplicar o mata-leão, o próprio homem acionou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que constatou a morte do suspeito de assalto. Segundo a polícia, ele não fugiu e permaneceu no local para prestar esclarecimentos.

O homem foi levado para a Central de Polícia de João Pessoa, onde prestou depoimento e, em seguida, foi liberado.

"Apesar de estar nervoso por ter matado uma pessoa, ele ficou no local, prestou todos os esclarecimentos à polícia. Ele foi levado à delegacia, foi ouvido e foi liberado, porque eu considerei legítima defesa, além de que ele não tinha a intenção de matar", afirmou o delegado.

Entretanto, se o delegado que conduzir as investigações considerar que houve excesso, o homem pode ser indiciado por homicídio culposo.

"No meu caso, não tinha porque autuá-lo em flagrante, porque tenho certeza que ele agiu em legítima defesa. A intenção era defender a moça. O suspeito estava armado de facão e a sorte foi que o assaltante não teve oportunidade de usá-lo", explicou Ademir Fernandes.

O caso está sendo investigado pela delegacia de Homicídios de João Pessoa e será encaminhado para o delegado titular da mesma especializada. Ele terá a atribuição de investigar o que ocorreu, com oitiva de testemunhas e laudos periciais.

O suspeito da tentativa de assalto ainda não foi identificado. Ele não portava nenhum documento de identificação. Até agora, nenhum familiar dele foi ao Instituto Médico Legal de João Pessoa reclamar do desaparecimento dele.

Cotidiano