PUBLICIDADE
Topo

Pai e madrasta são presos suspeitos de matar criança de 3 anos no Amazonas

Fachada da delegacia de Nova Olinda do Norte (AM) - Reprodução/Google Maps
Fachada da delegacia de Nova Olinda do Norte (AM) Imagem: Reprodução/Google Maps

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

20/01/2020 14h27

O pai e a madrasta de um menino de três anos foram presos em flagrante, ontem, pela polícia por suspeita de matar e esconder o corpo da criança em Nova Olinda do Norte (AM). O corpo foi encontrado enterrado no quintal da residência do casal, localizada na estrada do Curupira, na tarde do último sábado (18).

Segundo a polícia, o garoto foi assassinado na quarta-feira (15). O delegado Claudenor Medeiros, titular da 47ª Delegacia Interativa de Polícia, de Nova Olinda do Norte, disse que o casal Robert Nascimento Oliveira, 21, e Maria José Bezerra dos Santos, 24, serão indiciados pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

A mãe da criança, Aliny da Silva Fragata, contou que a guarda da criança era compartilhada, mas que em novembro foi levada pela avó paterna sem autorização, pois o casal ainda não tinha definido como seria o tempo que ficariam com a criança nas férias.

Aliny acredita que o assassinato do filho ocorreu por ciúmes da madrasta. "Eu mantinha contato com o pai da criança sobre assuntos relacionados à criança. Ela me enviou mensagens ameaçando a mim e a meu filho no WhatsApp em dezembro, esse material já entreguei à polícia", disse, emocionada.

Familiares da criança assassinada fizeram um protesto em frente ao 11º Distrito Integrado de Polícia, em Manaus, na manhã de hoje, para que a polícia ajude no traslado do corpo da criança. A mãe foi informada que deverá ir até Nova Olinda do Norte fazer o reconhecimento do corpo, para assim, haver liberação para velório e enterro. "Não tenho condições psicológicas para ir lá não. Quero o corpo do meu filho aqui em Manaus para ele ter um enterro digno", completou.

Os moradores da cidade ficaram revoltados com o crime, fizeram protestos na frente da delegacia e a SSP (Secretaria de Segurança Pública) teve que enviar reforço de policiais para manter o controle no local.

A SSP-AM informou que os dois presos foram transferidos para carceragem de outra delegacia em outro município, que não teve o nome informado por questões de segurança.

Eles devem passar por audiência de custódia em até 48 horas para que a Justiça decida se converte a prisão em flagrante em preventiva, mantendo a dupla presa em uma unidade do sistema prisional do Amazonas, ou se responderão pelo crime em liberdade.

Segundo a SSP-AM, na tarde do último sábado, policiais foram acionados por agentes de saúde de Nova Olinda do Norte informando que a criança estava desaparecida. "Os agentes estiveram em uma visita domiciliar na casa dos dois e acharam estranha a atitude dos dois, que contaram diversas versões sobre o paradeiro da criança, que não estava na casa no momento do atendimento médico", disse a secretaria.

Ao chegarem ao imóvel, os policiais encontraram o corpo do menino enterrado no quintal da casa. O casal teria fugido quando a polícia chegou, mas no domingo, eles foram presos em flagrante.

O UOL tentou localizar a defesa do casal, mas não conseguiu. A polícia informou que eles não constituíram advogado e deverão ser assistidos por um defensor público durante a audiência de custódia e o processo. O conteúdo dos depoimentos do pai e da madrasta não foram divulgados por se tratar de um crime que envolve um menor de 18 anos.

Cotidiano