PUBLICIDADE
Topo

Poupatempo suspende contrato de 200 funcionários por pandemia de covid-19

Os funcionários receberam uma mensagem avisando que precisariam comparecer ao local hoje, sem saberem da suspensão dos contratos - Reprodução/Twitter
Os funcionários receberam uma mensagem avisando que precisariam comparecer ao local hoje, sem saberem da suspensão dos contratos Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

26/03/2020 18h46

Na noite de ontem, cerca de 200 funcionários terceirizados de um Poupatempo em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, receberam uma mensagem indicando que precisariam se dirigir a um endereço hoje pela manhã. Chegando ao local, tiveram uma surpresa: estavam lá para assinar a suspensão de seus contratos de trabalho.

Nas redes sociais, pessoas se indignaram com a notícia e cobraram um posicionamento do governador de São Paulo, João Doria.

Os funcionários relatam que precisaram ficar aglomerados em uma sala para assinar o documento — o que contraria todas as recomendações do Ministério da Saúde sobre a prevenção da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Ao programa SPTV, da Rede Globo, a Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) disse que a suspensão não significa demissão de funcionários, e que os contratos serão reativados após o fim da quarentena. A empresa que administra o Poupatempo, Alternativa, não se pronunciou.

No último dia 19, o governo do estado anunciou que o atendimento presencial nas 76 unidades do Poupatempo seria reduzido em até 70% a partir desta semana.

Coronavírus