PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
5 meses
SP: Polícia prende mãe de menina desaparecida há 47 dias em Itapira

DIG de Mogi Guaçu (SP) investiga sumiço da garota. Foto:  - Felipe de Souza/UOL
DIG de Mogi Guaçu (SP) investiga sumiço da garota. Foto: Imagem: Felipe de Souza/UOL

Felipe de Souza

Colaboração para o UOL

17/04/2020 16h28

A Polícia Civil de Mogi Guaçu, a 160 km de São Paulo, prendeu na manhã de hoje, de maneira temporária, Jennifer Natalia Pedro, a mãe da menina Isis Helena, de um ano de idade, que desapareceu há 47 dias da casa onde elas moravam, em Itapira (SP). Até agora o paradeiro da garota é desconhecido, e nenhuma pista concreta conseguiu trazer informação precisa.

O pedido de prisão temporária tem validade de cinco dias e o mandado foi expedido pela Justiça local. A Polícia Civil acredita que a mãe da menina tem participação no sumiço.

Os responsáveis pela investigação não quiseram dar entrevista hoje, alegando que o caso segue em segredo de justiça. O advogado da mãe, João Pellicer, conversou rapidamente com a imprensa. "Ela não é considerada suspeita, mas entendemos o pedido da polícia. Vou pedir um habeas corpus. Ela não matou a própria filha", afirmou.

Isis Helena desapareceu no dia 2 de março da casa onde vivia, na Vila Ilze, periferia de Itapira. A menina de um ano tem hidrocefalia e toma remédios controlados. Segundo a mãe, a menina vestia um body cor-de-rosa. Além delas, estavam os avós. Depois de sair e deixar a menina dormindo em casa, em outro cômodo, Jennifer voltou ao imóvel e saiu com a avó para sacar o dinheiro da aposentadoria dela.

Isis, desaparecida em Itapira (SP) - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

A filha ficou no quarto, e o avô, que a família suspeita que tenha Alzheimer, em outro cômodo. Ao voltar ao imóvel, a mãe alega que a porta estava aberta, e Ísis havia sumido. Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade.

Após semanas de investigação, o caso foi repassado para a Delegacia de Investigações Gerais de Mogi Guaçu. O motivo da troca não foi revelado.

Ontem, as buscas foram retomadas no Rio do Peixe, que corta a cidade, e no bairro rural de Duas Pontes. Corpo de Bombeiros, policiais militares, guardas-civis municipais e a Polícia Civil participam do trabalho. Hoje, um novo trabalho para tentar encontrar a garota acontece em uma área de canavial próximo à casa de Isis.

O sumiço da garota gerou comoção nas redes sociais, e diversas fake news foram criadas - desde que Isis teria sido encontrada morta, ou que ela estaria em uma casa em Goiânia (GO). Segundo a Polícia, as informações foram checadas e não são verdadeiras.

Cotidiano