PUBLICIDADE
Topo

Empresário sugere "dar tiro" no governador de AL para encerrar isolamento

O governador de Alagoas, Renan Filho (MDB) - Marcio Ferreira/Governo de Alagoas
O governador de Alagoas, Renan Filho (MDB) Imagem: Marcio Ferreira/Governo de Alagoas

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

18/04/2020 16h14Atualizada em 18/04/2020 16h49

A Polícia Civil de Alagoas abriu inquérito hoje para investigar o áudio de um empresário sugerindo a união de donos de loja para "dar um tiro" no governador do estado, Renan Filho (MDB).

A revolta do empresário — que é proprietário de um restaurante de shopping em Maceió — ocorreu por conta das medidas de isolamento social adotadas pelo governo de Alagoas para evitar a disseminação do coronavírus.

O áudio foi gravado hoje pelo empresário logo após uma suposta conversa com o diretor do shopping onde ele tem o empreendimento, na parte baixa de Maceió.

"Eu estava conversando com o pessoal da diretoria do shopping, e eles disseram o seguinte: que não adianta ser hipócrita de dizer 'vamos abrir, vamos botar pra abrir todo mundo' porque os empreendedores — no caso os donos dos shoppings — não vão de jeito nenhum liberar para abrir porque no outro dia o Ministério Público vai fechar, entendeu? Então não adianta. O negócio é, se a gente não se juntar pra dar um tiro nesse filha da puta desse governador, melhor a gente ficar em casa mesmo cordeirinho, como a gente está, vivendo numa ditadura", diz o áudio.

Segundo apurou o UOL, a fala foi dita em um grupo de Whatsapp com lojistas de um shopping da capital alagoana. Nesse grupo, alguns empresários, que teriam ficado chocados com a declaração, divulgaram o áudio para outras pessoas.

Em um áudio enviado em seguida, o mesmo empresário ironiza os números da covid-19, doença causada pelo coronavírus, registrados no estado. "É o fim do mundo, são 110 casos [até ontem], vai todo mundo morrer", afirma.

Em nota divulgada hoje, a Secretariade Estado da Comunicação informou que "o governador Renan Filho não vai comentar ameaças motivadas pela adoção de medidas de enfrentamento à pandemia de coronavírus, que tem como objetivo preservar a vida dos alagoanos."

"A Polícia Civil já foi acionada para conduzir investigação sobre áudios divulgados na imprensa e tomará as medidas cabíveis para identificar o autor e puni-lo conforme a lei", afirma a nota da assessoria.

Em Alagoas, o governador decretou o fechamento do comércio desde o dia 21 de março. Uma nova decisão prorrogou o prazo até o dia 20 de abril, mas Renan Filho já anunciou que deve publicar novo texto renovando as medidas de isolamento social.

Ao todo, o estado registrou até hoje 132 casos confirmados de covid-19 e 12 mortes. Há ainda ao menos 285 casos suspeitos da doença causada pelo novo coronavírus. No país, segundo o Ministério da Saúde, o número de mortes subiu para 2.347. Nas últimas 24 horas, foram registrados 211 novos óbitos.

Coronavírus