PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Santuário de Aparecida nega questionar isolamento por causa do Covid-19

Santuário de Aparecida - Getty Images
Santuário de Aparecida Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

27/05/2020 12h21

O Santuário Nacional de Nossa Senhora de Aparecida nega que esteja questionando o isolamento social como medida de contenção da Covid-19.

Em nota oficial, a igreja, localizada em Aparecida, no interior de São Paulo, afirma estar "equivocada" reportagem publicada ontem pelo UOL sobre o assunto. "O Santuário Nacional vem cumprindo com rigor todas as determinações das autoridades e em nenhum momento questiona o isolamento ou se posiciona contrário", diz o texto.

No dia 21 de maio, contudo, em documento enviado à Justiça, o Santuário afirma: "Não há consenso técnico quanto ao fechamento dos ambientes públicos como medida de contenção da Covid-19. Trata-se de mecanismo para concessão de 'fôlego' para estruturação do sistema de saúde e para que os estudiosos da área entendam o comportamento do vírus.".

O documento é parte do processo 1000010-12.2020.8.26.0621, no qual a juíza Luciene Belan Ferreira proibiu liminarmente, no dia 14 de março, o Santuário de realizar missas em razão da ameaça de contaminação e disseminação do coronavírus.

A petição da igreja está na página 57 do processo. No tópico 4.3, o Santuário reafirma que não há "unanimidade quanto à eficácia do isolamento como meio de contenção da propagação da Covid-19."

"Ao contrário do que aponta o Ministério Público, há sérios questionamentos técnicos quanto a pertinência da medida a ser adotada quanto à restrição à circulação de pessoas", diz o texto. "Países como a Suécia não adotaram um mecanismo extremo e sofreram menos do que outros, como a Itália, que adotaram o modelo restritivo estranhamente defendido pelo Ministério Público".

No processo, o Santuário, que recebe anualmente cerca de 12 milhões de romeiros, solicita que a Justiça declare a improcedência da ação na qual o Ministério Público pediu e obteve a proibição da realização de eventos na catedral da Arquidiocese de Aparecida. Reclama também da falta coordenação das autoridades: "Se o Presidente da República diz 'A', o Governador diz 'B', o Ministério Público de Lorena diz 'C' sobre o Santuário de Aparecida e o STF orienta a 'D'..., o que o cidadão deverá fazer? Em quem acreditar?".

Na nota enviada ao UOL, a igreja afirma que o "Santuário em nenhum momento questiona as medidas de isolamento social, ou mesmo seu formato." Segundo o texto divulgado pela assessoria de imprensa "a retomada da realização de celebrações litúrgicas com a presença do povo só acontecerá quando o poder público indicar esta possibilidade, bem como a Arquidiocese de Aparecida orientar". "Cumpre ressaltar ainda que o Santuário já vinha tomando, desde antes do processo, atitudes para o combate da Covid-19 e que sempre esteve atento a todas as normas sanitárias emanadas pelas autoridades competentes."

Cotidiano