PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias
Novo ciclone faz com que mais de 3 mil pessoas deixem suas casas no RS

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, de Porto Alegre

08/07/2020 21h01

As chuvas intensas provocadas por um ciclone forçaram hoje a saída de suas casas de pouco mais de 3 mil pessoas no Rio Grande do Sul, de acordo com a Defesa Civil. Do total, 780 pessoas estão desabrigadas e, por isso, tiveram que ir para abrigos públicos. Outras 2.239 pessoas tiveram de se acomodar em casas de parentes, amigos ou vizinhos.

No RS, um homem, identificado como Geisson Vitz, 34, morreu no fim da tarde de ontem após a casa em que estava ser atingida por duas pedras em Caxias do Sul, na Serra. A mulher dele também foi soterrada, mas conseguiu ser retirada do local com vida.

A cidade mais atingida é São Sebastião do Caí, a 64 quilômetros de Porto Alegre. Por lá, 435 residências foram atingidas por uma inundação e 38 famílias foram removidas para dois abrigos municipais, totalizando 127 pessoas desabrigadas. Há ainda 1,7 mil pessoas desalojadas.

Além dele, um idoso de 73 anos está desaparecido após ser surpreendido enquanto dirigia por uma enchente na RS-129 em Colinas, no Vale do Taquari. Até as 17h de hoje, Nestor Mazarolo e seu carro ainda não tinham sido encontrados.

Em Porto Alegre, já choveu 123,4 mm/m³ nos últimos dois dias, quase batendo a média histórica para o mês de julho (135,85 mm/m³), de acordo com o Centro Integrado de Comando da prefeitura.

São Sebastião do Caí - Ricardo Marques/Prefeitura São Sebastião do Caí - Ricardo Marques/Prefeitura São Sebastião do Caí
Rua alagada em São Sebastião do Caí (RS) após passagem de ciclone
Imagem: Ricardo Marques/Prefeitura São Sebastião do Caí

Casas alagadas em SC

Já em Santa Catarina houve registros de alagamentos em Praia Grande, no Sul do Estado. Ao todo 80 residências foram alagadas pela enxurrada. As famílias atingidas foram encaminhadas à casa de parentes e a um abrigo emergencial aberto no ginásio de esportes municipal, onde 70 pessoas estão abrigadas.

Por volta das 6h de hoje, a chuva parou e o rio voltou para a calha, baixando o nível em um metro. Estima-se que o rio atingiu no momento da inundação cerca de cinco metros acima do nível normal. A situação está controlada em função do tempo firme e os rios baixam gradativamente.

Cotidiano