PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês
Foragida, esposa de Queiroz se apresentará hoje à Justiça, diz defesa

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

10/07/2020 14h38Atualizada em 10/07/2020 16h02

A defesa de Márcia Oliveira de Aguiar, esposa de Fabrício Queiroz, diz que ela vai se apresentar ainda hoje à Justiça para cumprir prisão domiciliar ao lado do ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Márcia, que teve decretado mandado de prisão preventiva no inquérito que apura suposto esquema de rachadinha na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), está foragida desde 18 de junho, quando Queiroz foi detido em Atibaia (SP) em um imóvel que pertence ao advogado Frederick Wassef, até então representante da família Bolsonaro. O advogado Paulo Emílio Catta Preta, que representa Queiroz e Márcia, avalia agora pedir a soltura do casal ao STF (Supremo Tribunal Federal).

O ministro João Otávio Noronha, presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), concedeu ontem prisão domiciliar a Queiroz —que se recupera de um câncer. Ele estendeu o benefício para a sua esposa por "presumir que sua presença ao lado dele seja recomendável para lhe dispensar as atenções necessárias".

Em uma troca de mensagens com Queiroz, Márcia disse que só sairia do Rio se estivesse com a prisão decretada, aponta o MP-RJ (Ministério Público do Rio). "Mais [sic] só se estivéssemos com prisão decretada. Sabe que isso será impossível né? Mais [sic] vamos aguarda [sic]", escreveu.

A afirmação foi dada por Márcia às 11h58 de 24 de novembro de 2019, conforme consta no relatório encaminhado pelo MP à 27ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.

De acordo com a investigação, Queiroz estava em Atibaia e questionava a esposa sobre a possibilidade de ela deixar a capital fluminense e ir para São Paulo.

Documentos apreendidos na casa de Márcia em operações anteriores apontam que ela recebeu R$ 174 mil em dinheiro de uma origem ainda desconhecida. Segundo o MP-RJ, ela pagou despesas de um tratamento médico de Queiroz no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, também com dinheiro em espécie.

Cotidiano