PUBLICIDADE
Topo

Parque Ibirapuera amanhece movimentado na reabertura e com fila de carros

Movimento no parque Ibirapuera no primeiro dia de reabertura - Ananda Migliano/O Fotográfico/Estadão Conteúdo
Movimento no parque Ibirapuera no primeiro dia de reabertura Imagem: Ananda Migliano/O Fotográfico/Estadão Conteúdo

Wanderley Preite Sobrinho

Do UOL, em São Paulo

13/07/2020 09h10Atualizada em 13/07/2020 14h48

O parque Ibirapuera amanheceu movimentado na manhã de hoje após quase quatro meses fechado em razão da pandemia do novo coronavírus. O dia começou com fila de carros antes da abertura dos portões, marcada para as 6h, pista de corrida lotada e alívio para os vendedores ambulantes do parque.

O Ibirapuera, na zona Sul, e o parque do Carmo, na zona Leste, foram os primeiros a reabrirem na manhã de hoje. Outros 68 parques liberados funcionarão a partir das 10h; todos com fechamento previsto para as 16h.

A expectativa pela reabertura era tanta que carros fizeram fila no estacionamento do Ibirapuera pouco antes das 6h, quando os frequentadores foram liberados a entrar.

Apenas 40% da capacidade total de público é permitida nos parques, controle que ficou a cargo de equipes da prefeitura.

Ao atravessar o portão, cartazes com as regras de higiene e distanciamento dão as boas-vindas ao lado de uma garrafa com álcool em gel, oferecido também em alguns pontos do parque.

Durante a permanência no parque, a reportagem não observou aglomerações nem desrespeitos às normas estabelecidas pela prefeitura.

O aposentado Cesár Bergantini, 64, terminava sua corrida com a cachorra. Estava animado depois de tantos meses de espera.

aposentado Cesár Bergantini, 64 - Wanderley Preite Sobrinho/UOL - Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Aposentado Cesár Bergantini, 64
Imagem: Wanderley Preite Sobrinho/UOL

"Moro perto, sou assíduo aqui. Venho cinco vezes por semana. Caminho, corro e faço musculação no bosque", conta.

A atividade em grupo, no entanto, está proibida por enquanto. Quadras, parquinhos e estações de exercícios estão lacrados: nenhum esporte coletivo é permitido a fim de evitar aglomerações.

Parque do Ibirapuera reabre em São Paulo

O juiz Fábio Soares, 46, e a filha estudante Fernanda Soares, 18, não viam a hora de correr no parque.

"A gente corre quatro vezes por semana", conta ele. "Sem o parque a gente corria na rua, disputando espaço com carro, pedestre e bicicleta. Os desvios podem ser perigosos."

Pai e filha correm juntos - Wanderley Preite Sobrinho/UOL - Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Pai e filha correm juntos
Imagem: Wanderley Preite Sobrinho/UOL

A aposentada Maria dos Santos Nogueira, 76, optou pela caminhada.

"Correr de máscara é ruim, tira o ar e fica muito quente", diz. "Sem o parque eu me exercitava meia hora por dia, agora vou ficar uma hora e meia, duas horas no parque."

Quem também ficou satisfeito com a reabertura foi o vendedor de coco Gilberto Santos, 52, há 15 anos no Ibirapuera.

Desde março sem vender no parque, ele precisou comercializar máscaras de pano perto da estação de trem de Mauá, cidade da Grande ABC, onde mora.

"Também contei com ajuda de parentes e do auxílio emergencial", diz. "Vou continuar vendendo máscaras nos finais de semana. Compro por R$ 3, vendo por R$ 5."

Vendedor de cocos Gilberto Santos - Wanderley Preite Sobrinho/UOL - Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Vendedor de cocos Gilberto Santos
Imagem: Wanderley Preite Sobrinho/UOL

É que os parques não poderão abrir nos finais de semana, quando há chance maior de aglomeração.

Entrada principal do parque Buenos Aires, em Higienópolis - Wanderley Preite Sobrinho/UOL - Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Entrada principal do parque Buenos Aires, em Higienópolis
Imagem: Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Parque Buenos Aires

Aberto desde as 10h, o parque Buenos Aires, em Higienópolis, também estava bastante frequentado. Mães com crianças pequenas tomavam sol na grama, os mais velhos descansavam nos bancos de madeira, enquanto outros apenas caminhavam.

Morador do bairro, o engenheiro André Oliveira, 47, saiu para um banho de sol com os dois filhos e o cachorro de 7 meses.

"É a primeira vez que ele vem no parque. A gente estava ansioso pra trazê-lo, pena que o cachorródromo está fechado", lamenta.

Família Oliveira leva o cachorro para passar no parque Buenos Aires - Wanderley Preite Sobrinho/UOL - Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Família Oliveira leva o cachorro para passar no parque Buenos Aires
Imagem: Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Assim como no Ibirapuera, esportes coletivo também são proibidos. Além do espaço para cachorros, a academia e o playground estavam fechados.

"Sentimos muita falta. Enquanto tiver pouca gente durante a semana eu virei aqui com a família", diz o engenheiro.

Perto dali, a designer de joias Flávia Lucena, 52, e o filho, o analista de planejamento Rodolfo Gongora, 29, tomavam sol no gramado central.

Flávia e o filho Rodolfo tomam sol no parque Buenos Aires - Wanderley Preite Sobrinho/UOL - Wanderley Preite Sobrinho/UOL
Flávia e o filho Rodolfo tomam sol no parque Buenos Aires
Imagem: Wanderley Preite Sobrinho/UOL
"Já estava na hora, não dá pra ficar só em casa", diz ela, que pretende visitar o Buenos Aires ao menos duas vezes por semana "para respirar um ar diferente".

Gongora acha "fundamental" o distanciamento mínimo exigido e uso de máscara: "O que precisa é o povo se ajudar e respeitar as regras", conclui.

Parques estaduais

A reabertura de hoje marca mais uma fase do processo de flexibilização das atividades que estavam restringidas na cidade por causa da pandemia. Além dos parques municipais, os estaduais localizados na capital também serão reabertos para visitação a partir de hoje.

A secretaria estadual administra 16 parques estaduais na cidade; 11 urbanos, dois ambientais e três naturais (Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico).

Os parques estaduais urbanos Villa-Lobos, Candido Portinari, Água Branca e Ecológico do Tietê, localizados na cidade, funcionam de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h.

O mesmo horário será seguido pelos parques estaduais naturais Jaraguá e Cantareira (Núcleo Pedra Grande), mas as visitas deverão ser marcadas com antecedência mínima de 24 horas por meio do site da Fundação Florestal, órgão responsável pelas duas unidades de conservação.

Nesses locais, será obedecido o limite de 30% de sua capacidade. As trilhas com ocorrência de mamíferos e cachoeiras permanecerão fechadas.

Já o Zoológico, o Zoo Safari e o Jardim Botânico estarão abertos de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h, e aos sábados, domingos e feriados das 9h às 16h, com restrição de 50% de venda dos ingressos.

Cuidados que você precisará tomar nos parques

Não use

  • Parquinhos infantis;
  • Quadras e campos de prática esportiva coletiva;
  • Ginásios;
  • Áreas de evento e equipamentos que estejam fechados;
  • Bebedouros públicos, que estarão lacrados;
  • Chuveiros de vestiários.

Mantenha distância

  • Evite aglomerações de qualquer tipo, inclusive nas entradas dos parques;
  • Use máscara em tempo integral;
  • Preserve o distanciamento social mínimo de dois metros entre as pessoas;
  • Não pratique esportes coletivos que dificultem o distanciamento social;
  • Se precisar de elevador, não ultrapasse 30% de sua capacidade;
  • Faça uso de álcool gel, que será oferecido próximo de entradas e saídas e locais de grande circulação.

Coronavírus