PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Homem é assassinado horas após enterro do irmão morto em briga de torcidas

Francis foi morto após suposta briga entre torcidas; dois dias depois, irmão dele foi assassinado em BH - Reprodução/Instagram/Máfia Azul
Francis foi morto após suposta briga entre torcidas; dois dias depois, irmão dele foi assassinado em BH Imagem: Reprodução/Instagram/Máfia Azul

Daniela Mallmann

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

10/09/2020 09h46

Dois irmãos foram assassinados em um intervalo de dois dias em Minas Gerais. Francis Albert Gonçalves, 22, morreu na última segunda-feira (7) após uma suposta briga entre torcidas organizadas de Atlético-MG e Cruzeiro. O irmão dele Thiago Gonçalves Vinícius dos Santos, 29, foi ao enterro e, horas depois, foi assassinado em uma avenida de Belo Horizonte.

Segundo a Polícia Militar da capital mineira, Thiago foi morto a tiros na noite de ontem, mas ainda não se sabe a autoria e nem a motivação do crime. A vítima tem uma extensa ficha criminal. Ele esteve preso por 12 anos por tráfico de drogas, lesão corporal e porte ilegal de armas.

Há cerca de um mês, ele ganhou direito a liberdade e morava próximo ao local onde foi morto. Horas antes do crime, Thiago foi ao enterro do irmão Francis, que foi assassinado na segunda-feira na cidade de Sabará, região metropolitana de Belo Horizonte.

Francis foi atingido por quatro tiros de calibre 380 e morreu no local, segundo informações da polícia. De acordo com o Boletim de Ocorrência, a motivação do crime foi uma briga entre torcedores do Cruzeiro e Atlético-MG.

Nas redes sociais, a torcida Máfia Azul, organizada do Cruzeiro, homenageou o torcedor e afirmou que integrantes da Galoucura, organizada do Atlético-MG, foram os responsáveis pelos disparos.

Em resposta, a Galoucura afirmou que "cabe às autoridades apurarem cada caso".

Amigos de Francis também se manifestaram nas redes sociais lamentando a morte dele. "Que Deus conforte o coração dessa mãe, enterrou um filho hoje covardemente assassinado e hoje mataram o outro filho. Que tragédia, senhor", escreveu uma amiga da família.

Cotidiano