PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
RJ: Passarinho premiado é roubado; suspeito não quis relógio nem carteira

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

17/09/2020 18h48

O advogado trabalhista, Fernando de Sousa, 64, teve um passarinho campeão de canto roubado no último domingo (13), após deixar uma loja onde se reunia com amigos, no bairro da Tijuca, na zona norte do Rio. Fernando contou que foi abordado por um homem de moto que tomou a gaiola. Segundo o dono do Sapinhoá, nome do pássaro, o assaltante não pediu o relógio, nem quis a carteira ou a aliança da vítima.

"Eu costumo brincar que levo o passarinho para tomar uma cerveja. Dessa vez, ajudei um amigo a colocar as gaiolas dele no carro, me despedi e, quando fui para o outro lado para ir para casa, fui surpreendido. Ele [o assaltante] botou a mão na cintura, não sei se estava armado, e gritou pra mim: 'perdeu!'. Pegou a gaiola, colocou no tanque de gasolina da moto e foi embora", contou o advogado, que já registrou o caso na delegacia.

O passarinho roubado não é uma ave comum. Trata-se de um bicudo com canto premiado em torneios. No passado, Sapinhoá conseguiu o segundo lugar em um campeonato que ocorreu em Niterói, cidade da região metropolitana do Rio.

"Ele já participou de algumas disputas. Tiveram vezes que ele nem cantou. Vai da vontade dele, mas conseguiu já uma boa colocação", explicou o advogado, que tem outros quatro pássaros em casa, todos com registro do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente).

Sapinhoá tem quatro anos e estava com Fernando há três. Ele é um pássaro nascido em cativeiro, legalizado e possui uma anilha — pulseira de identificação onde constam número do registro dele, data de nascimento e outras informações sobre a ave.

O preço das aves varia normalmente entre R$ 300 e R$ 800. Sapinhoá, no entanto, tinha um valor sentimental, diz o advogado. "Estou muito triste. Não esperava que isso fosse acontecer. Estou em função disso nesses dias, tentando câmeras de segurança da região para tentar saber pelo menos trajeto que esse homem fez".

De acordo com Fernando, já se sabe que o suspeito chegou a dar uma volta no quarteirão, antes de abordá-lo. O passarinho roubado tem uma pinta branca em um lado do bico.

Cotidiano