PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Menino de 9 anos do PR usa o celular da mãe e negocia casa em Sergipe

João Bernardo, de 9 anos, pegou o celular da mãe e tentou negociar uma casa, em Sergipe, no valor de R$ 110 mil por meio de um aplicativo - Arquivo Pessoal/Daiana Campiolo
João Bernardo, de 9 anos, pegou o celular da mãe e tentou negociar uma casa, em Sergipe, no valor de R$ 110 mil por meio de um aplicativo Imagem: Arquivo Pessoal/Daiana Campiolo

Abinoan Santiago

Em colaboração para o UOL, em Ponta Grossa (PR)

24/09/2020 22h18

A inocência de um garoto de nove anos viralizou nas redes sociais. Morador de Maringá (PR), a 428 quilômetros de Curitiba, João Bernardo pegou o celular da mãe e tentou negociar uma casa, em Sergipe, no valor de R$ 110 mil por meio de um aplicativo. O menino ofereceu pagar o imóvel com parcelas de R$ 50. A publicação é de 8 de setembro, mas tomou proporções nesta semana e conta com mais de 2,8 mil reações e 5 mil compartilhamentos em uma rede social.

"Queria comprar a casa, mas não tenho tanto dinheiro. Então pensei: e se eu te desse R$ 50 por mês até juntar R$ 110 mil? É que gostaria de morar eu, minha mãe e meu irmão porque que a nossa casa é muito pequena", escreveu o garoto nas mensagens. Ele ainda complementa que o lugar onde moram é movimentado, o que se torna um perigo para o cachorro da família.

O vendedor no anúncio nega a oferta de pagamento. O garoto mostra compreensão e depois se desculpa pelo incômodo. "Está bem. Acho que não vai dar mesmo para eu ir, porque a casa é em Sergipe e eu moro em Maringá".

A mãe de João, a diarista Daiane Campiolo, de 38 anos, publicou os prints da conversa do filho com o vendedor nas redes sociais. A publicação viralizou e diversos internautas elogiaram a inocência e compreensão do garoto depois de ter o pedido recusado.

Criança se preocupa com aluguel, diz mãe

Segundo Daiana, João aprendeu a mexer no aplicativo de compra e venda depois que decidiu se desfazer de um jogo de videogame. Com a morte do pai, em maio de 2019, o garoto teria passado a se preocupar com o aluguel da casa onde moram e por isso começou a buscar imóveis.

"Há tempos o meu filho tem essa preocupação comigo porque o pai dele faleceu. Ficou com esse negócio de querer se preocupar se vou conseguir pagar o aluguel, mas não sou muito de ficar reclamando, mas mesmo assim se sente como um protetor de mim", comentou a mãe, ao UOL.

Daiana conta que precisou mandar uma mensagem ao vendedor pedindo desculpas e esclarecendo que era o filho no chat. Em razão de João se inspirar no irmão mais velho, Kauan Gautman, de 20 anos — que cursa duas graduações —, o garoto adora estudar, o que fez o vendedor imaginar que estivesse conversando com um adulto.

"Estava lavando louça e ele chegou comigo falando que precisaríamos ganhar na mega-sena porque tinha visto uma casa por R$ 110 mil. Na hora, não liguei muito. Depois de um tempo, o João chegou comigo e disse que havia mandado mensagem para o vendedor. Me assustei, peguei o celular e informei que era uma criança. O vendedor poderia até pensar que seria um adulto menosprezando a casa com essa oferta", lembra.

Repercussão deixou garoto feliz

João passa por tratamento psicológico desde a morte do pai. Por ser avesso a fotos e aparecer nas redes sociais, a mãe revelou somente anteontem que publicou a conversa da negociação. Ao saber da repercussão, o garoto é pura felicidade e orgulho da fama repentina na internet.

"Eu fiquei contente com a repercussão porque o deixou bastante feliz. Agora vai dormir cantando. O tratamento que faz após morte do pai é para auxiliar neste processo, mas nesses dois últimos dias foi dormir bem feliz ao dizer aos coleguinhas da escola que está famoso", se alegra a mãe.

Cotidiano