PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias
Pai e filho morrem de infarto no mesmo dia e hora, em estados diferentes

Urivaldo, à esquerda, e Valdir morreram no mesmo dia - Arquivo Pessoal
Urivaldo, à esquerda, e Valdir morreram no mesmo dia Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Ponta Grossa (PR)

01/10/2020 12h28

Um pai de 71 anos e o filho dele, de 52, foram enterrados ontem em Pato Branco, a 438 quilômetros de Curitiba. Residindo em estados diferentes, ambos faleceram após sofrerem infarto no mesmo dia e hora, segundo a família.

O idoso, Urivaldo Gnotti Biff, faleceu no início da manhã de terça-feira (29), em Joaçaba (SC). Já o filho, Valdir Biff, foi encontrado sem vida na própria casa, em Pato Branco (PR), na mesma manhã, quando um irmão dele tentou avisá-lo sobre a morte do pai. As certidões de óbito de ambos apontaram o horário "por volta das 11h", revela a família.

"Um tio ligou avisando da morte do meu avô. Então, eu telefonei para outro informando do acontecido. Ele se dirigiu até em casa para avisar o irmão, mas o encontrou morto na cama. Eles até tomaram café juntos e acreditamos que tenha ido se deitar porque se sentiu mal. Os médicos que atenderam o meu avô e meu tio colocaram o horário da morte por volta das 11h. Acreditamos que morreram juntos", relata Rosmari Dalponte, neta de Urivaldo e sobrinha de Valdir.

A cidade onde o idoso morava fica a 230 quilômetros de Pato Branco. O corpo dele foi levado ao município paranaense para ser enterrado próximo ao filho, no Cemitério Portal do Céu. Ambos não se viam há quatro meses em razão da pandemia do novo coronavírus, já que o pai era do grupo de risco.

De acordo com a família, Urivaldo passava por tratamento médico de diabetes, mas o filho não tinha relatos de algum problema de saúde. "No fim de semana, teve um almoço na minha casa e o meu tio estava muito feliz. Era perceptível no rosto dele", lembra Rosmari.

Apesar da distância, pai e filho eram muito próximos afetivamente. A família ainda tenta compreender a triste coincidência que ocorreu com os parentes no mesmo dia.

"A gente está tentando assimilar porque em questão de uma hora, soubemos de duas perdas. Acreditamos que o meu avô veio buscar meu tio porque eles sempre foram muito apegados. Meu avô tinha um cuidado maior com esse filho, apesar de ter outros", comentou a parente.

Cotidiano