PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Artefato explode e fere 2 policiais no PR; PM fala em 'atentado cruel'

Carro da PM sofre explosão e corporação investiga atentado a bomba - Divulgação
Carro da PM sofre explosão e corporação investiga atentado a bomba Imagem: Divulgação

Vinicius Boreki

Colaboração para o UOL, em Curitiba

26/10/2020 14h02

Dois policiais militares estão internados no hospital após serem vítimas de um ataque com um artefato explosivo ainda não identificado na madrugada desta segunda-feira (26) em Ipiranga, na região dos Campos Gerais, a cerca de 170 quilômetros de Curitiba. Os PMs foram encaminhados à Santa Casa de Ponta Grossa, a 50 quilômetros de Ipiranga.

O policial homem está consciente e tem previsão de alta para esta segunda-feira (26), já a segunda agente foi internada na UTI, conforme a Polícia Militar.

De acordo com a PM, a dupla estava no final do seu serviço e foi chamada para uma ocorrência de perturbação de sossego em uma região distante do centro de Ipiranga. Quando os dois PMs estavam dentro do veículo, houve uma explosão. Ainda não se sabe qual artefato causou o atentado e de que forma ele ocorreu.

viatura - Divulgação - Divulgação
Carro da PM sofre explosão e corporação investiga atentado a bomba
Imagem: Divulgação

Em entrevista à CBN Curitiba, o comandante-geral da Polícia Militar, Péricles de Matos, caracterizou a situação como um "atentado cruel" e afirmou que determinou o isolamento do local para que a perícia pudesse ser realizada. "De forma preliminar, indica-se a possibilidade de uma bomba de arremesso, do tipo usado pelas torcidas", diz Matos. Conforme ele, a apuração trabalha com "todas as linhas de investigação possíveis".

Em nota enviada à reportagem de UOL, a PM afirma que vai contribuir com a investigação que será realizada pela Polícia Civil e Científica. Uma equipe do Esquadrão Antibombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope) já foi ao local para "fazer análises e compartilhar informações com os responsáveis pela perícia", disse a PM no documento.

O Serviço de Inteligência da corporação também esteve no local para "verificar as circunstâncias do ataque e obter informações, imagens e identificação de testemunhas", segue a nota.

Cotidiano