PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês
Obras de Francisco Brennand em bronze são furtadas de parque do Recife

Não se sabe como as peças foram retiradas do local, se foi por meio de barco ou veículo automotor - Reprodução
Não se sabe como as peças foram retiradas do local, se foi por meio de barco ou veículo automotor Imagem: Reprodução

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

04/12/2020 17h36

O Parque das Esculturas Francisco Brennand, que reúne obras do artista plástico pernambucano na área central do Recife, teve várias peças furtadas esta semana, dentre elas diversos pássaros e uma serpente de bronze com 20 m de comprimento e 1,5 m de altura. A delegacia de Boa Viagem investiga quem roubou as peças e para onde elas foram levadas.

O parque é um dos cartões-postais da capital pernambucana e reúne cerca de 90 esculturas de Brennand. A obra mais famosa do parque é a Torre de Cristal, que tem 32 m de altura, e tem no topo uma flor tropical. O espaço foi criado nas comemorações dos 500 anos de descobrimento do Brasil e pode ser visitado por meio da estrada de Brasília Teimosa ou visto de longe do Marco Zero, no Recife Antigo.

Esta semana, moradores do Recife observaram que várias peças estavam sendo furtadas e o caso se tornou público hoje depois de divulgação de fotos em redes sociais. Dentre as peças roubadas estão azulejos e pássaros, além de uma serpente em bronze que pesa cerca de 500 kg. Não se sabe como as peças foram retiradas do local, se foi por meio de barco ou veículo automotor.

A filha do artista plástico, Helena Brennand, lamentou o ocorrido e afirmou que o espaço, apesar de representar o Recife, não é valorizado. "É uma obra pública desvalorizada pelo poder público. Lamentamos a falta de conservação de um legado deixado, que representa o Recife como a Torre Eiffel em Paris", disse.

Visitantes do parque relataram que a falta de segurança no local é comum há anos, apesar do valor cultural, e que o espaço se tornou ponto de venda e consumo de drogas. O problema da falta de conservação não se restringe ao parque, mas também o acesso a ele. A estrada de Brasília Teimosa está com asfalto esburacado, desnivelado e sem iluminação. A calçada também está danificada.

"Desde que fundaram esse parque o local passa por problemas. Ultimamente, vejo que a Prefeitura não faz a conservação e o estado não dá segurança para os visitantes. A maioria das peças está quebrada, e nos espaços que existiam obras que foram roubadas só tem os pedaços das estruturas. Fico a pensar que logo, um dia, podem até destruir o obelisco para roubar o material dessa torre símbolo do Recife", conta Cristiano Bezerra, morador do Recife.

"Eu deixei de indicar o passeio ao local há cerca de três anos por conta da falta de segurança. Há risco de assalto na estrada de acesso, ainda em Brasília Teimosa, que muitas vezes moradores cobram para deixar o carro passar. Depois, os turistas ficam visados ao passarem por Brasília Teimosa, que é uma favela, e podem ser perseguidos até o parque, que não tem nenhum policiamento. Não indico a nenhum turista a ir visitar o local porque quando a pessoa está lá não tem como fugir de assalto porque só tem um acesso ao parque", disse Carol Noronha, especialista em destino Nordeste do TripAdvisor.

Carol destaca a importância cultural e potencialidade turística do parque, mas diante da falta de segurança, ela orienta que "quem quer ver as peças, deve ver do Marco Zero, levar um binóculo, pois a Prefeitura não dá estrutura alguma. O local é de difícil acesso e cheio de usuários de drogas", completa.

Em nota, a Seturel (Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer do Recife) informou que realizou o levantamento das obras que foram roubadas do Parque das Esculturas e acionou a SDS (Secretaria de Defesa Social) para que o caso seja investigado. A pasta afirmou que solicitou reforço na segurança.

"A Seturel e a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana esclarecem que o Parque das Esculturas foi completamente requalificado em 2013 e, ao longo desse tempo, foram realizadas diversas manutenções tanto na estrutura do equipamento quanto nas obras. Foi feita a melhoria do molhe além de reparos em todas as obras de cerâmica do parque", diz o texto.

Segundo a nota, a Prefeitura do Recife colocou luminárias de LED no parque, com obra concluída no dia 9 de novembro. A Prefeitura informou ainda que o parque passa por limpeza diariamente.

"No entanto, este importante atrativo é constantemente alvo de vandalismo. Somente para recuperar monumentos, pontes e edificações públicas que sofreram ações de pichação e vandalismo a Prefeitura chega a gastar aproximadamente R$ 2 milhões por ano. Com relação às novas denúncias, uma equipe irá ao local para analisar os reparos imediatos necessários", destacou o comunicado.

A Prefeitura informou ainda que a Guarda Civil Municipal faz o monitoramento do parque por meio de câmera instalada no Marco Zero e há uma parceria com o governo do Estado, por meio do programa Ronda do Turismo, da PMPE (Polícia Militar de Pernambuco), para coibir ações criminosas no local.

A SDS reforçou, por meio de nota enviada ao UOL, na tarde de hoje, que a segurança do parque é feita pela Polícia Militar e pela Guarda Municipal do Recife. "Em todos os turnos, o local é patrulhado por viaturas e motos tanto do 19º Batalhão como de GATI (Grupo de Apoio Tático Itinerante)", informou.

A secretaria afirmou que são realizadas abordagens com frequência no local, especialmente à noite, e que pessoas já foram detidas suspeitas de furto e vandalismo no Parque das Esculturas. "Nas últimas semanas, pessoas suspeitas de furtos e vandalismo do patrimônio foram detidas. Outras pessoas foram abordadas pela PMPE logo após o ocorrido, mas a escultura ainda não foi localizada."

A SDS informou que as investigações sobre o furto das obras do Parque das Esculturas estão a cargo da Delegacia de Boa Viagem, que já iniciou a apuração, para "no menor tempo possível, identificar possíveis responsáveis."

"As polícias e a Prefeitura estão aprimorando ações de segurança, mas é importante ressaltar que esse é o patrimônio cultural, artístico e turístico do recifense e do pernambucano. Nossos cidadãos podem colaborar com preservação desse espaço, seja usando de forma adequada ou denunciando práticas ilícitas no local, ou repassando informações de suspeitos", informou a SDS.

O número para denúncias é o 181 ou WhatsApp (81) 99488-3455. A secretaria informou que em caso de emergência, caso alguém presencie algum flagrante de delito no espaço, deverá telefonar para o número 190.

Cotidiano