PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
10 meses

Casal é preso suspeito de achar cão perdido, vendê-lo e chantagear donos

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Chapecó (SC)

30/12/2020 12h05Atualizada em 30/12/2020 15h48

Um casal foi preso na noite de ontem suspeito de exigir R$ 1.000 para devolver um cão da raça pug, desaparecido desde 25 de dezembro. O cachorro fugiu de uma propriedade rural de Araucária, na região metropolitana de Curitiba, e foi visto sendo levado por um homem em uma caminhonete. Desde então, a família estava à procura de Buba, como é chamado o pug.

Na segunda-feira (28), um homem de 23 anos entrou em contato e passou a exigir o dinheiro. A polícia teve acesso aos áudios enviados à família. "Se você estiver interessado no cachorro realmente, estiver disposto a pagar o que eu falei, nos vê o que faz. Caso contrário, piá, infelizmente...o cachorro foi encontrado na rua, tu sabe disso", disse o criminoso.

No mesmo dia, o animal foi vendido por R$ 600 a uma mulher de Campo Largo, na mesma região do Paraná. Segundo o delegado Matheus Laiola, responsável pela investigação, o pug chegou a ser anunciado no site OLX e um recibo foi dado à compradora na negociação. "Ela não sabia que o animal estava sendo procurado. Ficou desesperada e o devolveu ontem à noite", conta Laiola.

Um vídeo divulgado pela polícia mostra o reencontro do pug com o tutor Anderson Kooiti Hissada, 24. "Vê se você conhece aquele cara ali Buba", disse um policial para o cão. O pug caminha em direção a Hissada e, depois de reconhecê-lo, cheira e lambe o rosto do tutor, com o rabinho balançando. "Segura essa fera", adverte o policial.

Hissada explicou em uma gravação, feita na polícia, que Buba conseguiu passar por um cercado na volta da chácara onde estavam. "Foi um descuido nosso", reconheceu o tutor. Ele ainda detalhou como ocorreu a extorsão. "Esse casal passou a agir de má-fé para cima de mim, me ligando, mandando mensagens via whatsapp, me extorquindo, querendo dinheiro, que eu fizesse um depósito para eles para passarem informações de onde estava o meu cachorro."

O casal foi preso em Curitiba suspeito de extorsão. Conforme o delegado, a companheira do homem, de 28 anos, também foi detida pois teria ciência do crime e estaria colaborando com ele. Além disso, pelo celular dela foram feitos os contatos à família do pug.

Anúncios de animais

Em nota, a OLX afirmou que "não recebeu evidências de que o caso tenha ocorrido na plataforma". "A empresa está à disposição das autoridades para colaborar na apuração dos fatos e reforça que investe constantemente em tecnologia e serviços de orientação ao usuário, com dicas e recomendações das melhores práticas. Caso o usuário perceba que nossas políticas estão sendo infringidas, contamos também com a sua denúncia para investigar anúncios irregulares e removê-los", informou.

A empresa também deu dicas para negociação pela plataforma:

  • Se estiver buscando um animal de estimação, levante com o anunciante mais informações sobre o bichinho e sua procedência
  • Pesquise sobre o local de compra e veja se o anunciante segue os padrões dos órgãos de fiscalização responsáveis
  • Procure conhecer os pais do bichinho. Em caso de filhotes, respeite o período de desmame específico para cada espécie
  • Denuncie qualquer tipo de maus-tratos ou suspeita de anúncio irregular na plataforma pelo botão Denunciar. O recurso ajuda a plataforma a banir o usuário irregular e a retirar o anúncio do ar.

Cotidiano