PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

PI: idosos são vacinados e asilo promove vídeo ao som de 'Bum Bum Tam Tam'

Idosos comemoram a vacinação contra a covid ao som de funk - Reprodução
Idosos comemoram a vacinação contra a covid ao som de funk Imagem: Reprodução

Aliny Gama

Colaboração para o UOL

21/01/2021 21h57

Quarenta e quatro idosos da casa de repouso Manain, localizada em Teresina (PI), comemoraram a vacinação contra o novo coronavírus ao som da música "Bum Bum Tam Tam', do MC Fioti. A canção virou um símbolo da imunização pela semelhança sonora com o nome do Instituto Butantan, que realizou testes em conjunto com o laboratório chinês SinoVac para produção do imunizante no Brasil.

O vídeo começa com a dona Pureza, de 94 anos, dizendo: "Vocês pensaram que não íamos tomar a vacina? Vamos sim!". Depois, funcionários dançam com seringas sem agulhas para comemorar a vacinação. Além dos 44 idosos, os 27 funcionários do asilo também foram vacinados depois da brincadeira.

As doses da vacina CoronaVac eram aguardadas com ansiedade pela administração do asilo, já que seis idosos chegaram a ser infectados pelo novo coronavírus, no início da pandemia, no ano passado e, desde então, as visitas foram suspensas.

Os seis idosos infectados foram retirados do asilo para receber tratamento médico e, depois que receberam alta, ficaram ainda sete dias isolados. O surto do novo coronavírus foi controlado, segundo a coordenação da casa de repouso, e até agora mais nenhum idoso do asilo adoeceu de covid-19.

A primeira pessoa a ser vacinada foi a idosa mais velha do abrigo: dona Ricardina Ferreira da Silva, de 106 anos. Apesar da idade, dona Ricardina é saudável, não tem diabetes, hipertensão ou doenças no coração.

"Dona Ricardina é caçulinha da casa. Ela é saudável, ouve bem e responde imediatamente. Se chamar pelo nome dela, ela logo diz 'oi' e começa a colocar as mãos para tocar em quem fala com ela, pois ela tem problemas de visão. É incrível a saúde dela, pois não tem comorbidades, como diabetes, hipertensão, não tem problemas cardíacos No dia 5 de maio completará 107 anos", disse a coordenadora da casa de repouso Manain, Ana Maria da Silva.

Ana Maria contou que os idosos festejaram a vacinação e nem sequer reclamaram que foram picados ao tomarem a vacina. Os idosos foram preparados e orientados pela equipe multidisciplinar para receber a CoronaVac.

"Hoje foi um dia de festa. Botamos música e os funcionários dançaram com eles, que curtiram a vacinação como se fosse uma festa. Estavam todos tranquilos. Agora, é esperar a segunda dose para garantirmos mais segurança para os idosos e nossos funcionários", disse Ana Maria.

A coordenadora do asilo contou que os idosos ficaram tristes com a suspensão das visitas, mas a equipe que os assiste realiza ações de animação diariamente para distraí-los.

"Procuramos sempre fazer algo para alegrá-los, pois estão sem receber visitas. Fazemos festa de aniversário, colocamos músicas e eles vão se divertindo mesmo com o isolamento necessário."

A vacinação foi agendada pela FMS (Fundação Municipal de Saúde), da prefeitura de Teresin, e teve início às 15h. Pouco tempo depois, todos já estavam vacinados e não houve nenhuma intercorrência.

"Foi uma satisfação muito grande ser o primeiro escolhido para receber a vacinação. Estava muito preocupada para a vacina chegar o quanto antes para não perder nenhum idoso por covid-19. Eles foram preparados pela equipe e estavam tranquilos. A psicóloga e enfermeira orientaram sobre a vacina. Estávamos com tudo preparado com a equipe a postos. Foi uma benção, graças a Deus", disse Ana Maria.

Atualmente, a casa de repouso está com lotação máxima, abrigando 44 idosos, sendo 20 mulheres e 24 homens. A equipe é formada por enfermeiras, técnicas em enfermagem, psicóloga entre outros. O abrigo completará seis anos de funcionamento em fevereiro.

A FMS divulgou que 4.045 pessoas foram vacinadas entre terça-feira (19) e hoje. A vacinação é voltada para o grupo prioritário formado por profissionais da saúde que atuam no enfrentamento ao novo coronavírus, idosos asilados, deficientes moradores de instituições e trabalhadores de abrigos.

Cotidiano