PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Esse conteúdo é antigo

Idosa admite que não é médica após briga por máscara: 'Perdi a noção'

Colaboração para o UOL, em Campinas

18/03/2021 14h43

A idosa que brigou com fiscais por se recusar a usar máscara de proteção facial contra o novo coronavírus, em Bragança Paulista (SP), admitiu ao UOL nesta quinta-feira (18) que não é médica. Um vídeo feito durante a confusão registrou que a mulher disse ser formada pela USP (Universidade de São Paulo).

"Fiz medicina na USP, fiz virologia na USP", disse Flavia Leutwyler, de 72 anos, para o agente da Vigilância Sanitária, Benedito Alvorada dos Santos, durante a discussão. A situação foi gravada por um segundo funcionário da Visa e viralizou.

Por telefone, ela admitiu que é, na verdade, educadora física. "Perdi a noção das coisas, falei que sou médica, mas sou da área médica. Eu sou formada em educação física. Isso que eu falei foi na hora da raiva", disse.

Em nota, os campus da USP nas cidades de Ribeirão Preto (SP) e São Paulo (SP) confirmaram que Flavia não é formada em medicina pela Universidade. "Não encontramos nenhum registro na Instituição com o nome Flavia Leutwyler Amaral", disse a FMUSP em por e-mail.

O caso

Na terça-feira (16), a idosa discutiu com os fiscais da Vigilância Sanitária após ser abordada próximo ao Lago do Taboão. Ela estava em um grupo de pessoas e, no momento da abordagem, não utilizava máscara de proteção facial, equipamento recomendado pelas autoridades em saúde para conter a disseminação do novo coronavírus.

Após a mulher se recusar a colocar o objeto no rosto, teve início a discussão. A Guarda Municipal foi acionada e conduziu os fiscais e Flavia, juntamente com seu esposo, à Delegacia de Bragança Paulista.

Na unidade, foi registrado um boletim de ocorrência contra a mulher e seu marido por desacato, e por vias de fato apenas contra o homem - já que, após observar a gravação do vídeo, ele empurrou o motorista que registrava as imagens.

Por telefone, Flavia disse nesta quinta que não comentará mais a situação.

"Se for necessário, no momento certo, pedirei desculpas. Cada história tem um lado. No momento, não vou mais falar sobre isso. Meu advogado está cuidando do assunto", informou.

Cotidiano