PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
15 dias

Operação Contrassenso investiga fraude em recursos do Fundeb

Operação Contrassenso foi uma parceria entre CGU e PF - Divulgação/Polícia Federal
Operação Contrassenso foi uma parceria entre CGU e PF Imagem: Divulgação/Polícia Federal

Colaboração para o UOL

13/04/2021 11h29

A CGU (Controladoria-Geral da União) e a PF (Polícia Federal) participaram hoje da Operação Contrassenso para desarticular uma organização criminosa que atua em Petrolina (PE) em contratos firmados pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte para a aquisição de materiais escolares com recursos repassados pelo Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica).

A investigação atual é um braço da Operação Casa de Papel, deflagrada em junho de 2020, que apurou supostas fraudes na Secretaria de Saúde do Recife com recursos repassados pelo SUS (Sistema Único de Saúde) no âmbito das ações de enfrentamento à pandemia da covid-19. O material apreendido apontou transações com dirigentes de Petrolina, incluindo um possível pagamento de vantagem indevida em favor de servidor da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte.

As análises feitas nos contratos firmados pela Secretaria de Educação do Município de Petrolina com empresas ligadas à investigação da Operação Casa de Papel identificaram fatores de risco em aquisições realizadas que totalizam mais de R$ 20 milhões. Foram apontados possível favorecimento na contratação, utilização de interpostas pessoas no quadro social da empresa (laranjas), falsidade ideológica, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva e de lavagem de dinheiro.

A Operação Contrassenso cumpriu 32 mandados de busca e apreensão nos municípios de Recife (PE), Petrolina (PE), Jaboatão dos Guararapes (PE), Olinda (PE), Paulista (PE), Camaragibe (PE), Igarassu (PE) e Belo Horizonte (MG).

Cotidiano