PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Vereador de MG que defendeu morte de animais diz que agiu 'por emoção'

O vereador Eli Corrêa (DEM) - Reprodução/Redes sociais
O vereador Eli Corrêa (DEM) Imagem: Reprodução/Redes sociais

Rodrigo Scapolatempore

Colaboração ao UOL, em Uberlândia (MG)

26/04/2021 10h52

O vereador Eli Corrêa (DEM), que defendeu a morte de animais de rua em sessão da Câmara de João Pinheiro (MG), pediu desculpas pelas palavras ditas quase uma semana depois. Dentre elas, "cachorro na rua tem que matar" e "se eu passar por cima nem olho para trás".

O parlamentar afirmou hoje ao UOL que foi tomado por emoção e que foi "infeliz no pronunciamento em algumas partes do discurso". O político também afirmou que não é contra os animais, mas ponderou sob quais condições.

"Quero deixar claro que sou a favor de cães e de todo tipo de animais, sendo eles bem alimentados e devidamente cuidados, para não trazer risco à população", finalizou.

As declarações feitas na última segunda-feira (19) repercutiram em todo o país. No discurso em plenária, Eli Corrêa defende a morte dos animais, incentiva a volta da carrocinha e conta como se comportaria caso atropelasse um cão.

Após a divulgação do vídeo da sessão, deputados se mobilizaram e pediram intervenção policial e do Ministério Público. Entidades e famosos também se manifestaram nas redes sociais.

Apologia ao crime

O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) confirmou que iniciou procedimento para apuração e está em fase de conclusão para abertura oficial do inquérito. O caso já saiu de Belo Horizonte e foi para os cuidados da promotoria em João Pinheiro.

Conforme a promotora Luciana Imaculada de Paula, o vereador pode responder por apologia ou incitação ao crime. "As representações foram conclusas às promotoras de Justiça para instauração de procedimento", afirmou o órgão.

A Polícia Civil de Minas Gerais disse que ainda não foi notificada. O UOL segue atrás de um posicionamento da Câmara Municipal de João Pinheiro, para saber se vai ser aberto algum processo administrativo interno.

Relembre o discurso

As afirmações de Eli Corrêa ocorreram após outro vereador apresentar projeto para instituir o mês de prevenção à crueldade contra animais na cidade, para conscientizar as crianças. Veja as frases mais marcantes do discurso.

"Cachorro na rua tem é que matar, cachorro em rua do jeito que vemos por toda banda, com problema e doença, amontoado, trazendo doença para população. (...) Cachorro de rua para mim é perder tempo. Eu, se passar por cima de um cachorro, nem olho para trás, penso que não tem dono. (...) Quando tinha uma carrocinha de catar cachorro, doente morrendo, só ficava aquele que tinha certeza que era saudável, o resto morria tudo."

Repercussão

"Motivo de indignação. Não tem outra palavra, é crime", foi o que afirmou o deputado federal Fred Costa (Patriota) após saber do caso. O parlamentar é criador da Lei Sansão, que torna a punição mais rígida nestes casos.

Depois do vídeo, o político se uniu ao delegado Bruno Lima (PSL), deputado estadual por SP, para acionar a promotoria e autoridades policiais. Eles também mobilizaram as redes sociais. Famosos como Xuxa Meneghel, Luisa Mell e Heloísa Périssé se posicionaram.

Cotidiano