PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Após prisão nos EUA, homem se diz vítima de golpe e processa ex em BH

O estudante mineiro Erick Bretz já esteve preso nos EUA por agredir a ex-namorada, Melissa Gentz - Reprodução/TV Globo/Hillsborough County Sheriff"s Office
O estudante mineiro Erick Bretz já esteve preso nos EUA por agredir a ex-namorada, Melissa Gentz Imagem: Reprodução/TV Globo/Hillsborough County Sheriff's Office

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/05/2021 16h58Atualizada em 07/05/2021 16h58

O estudante Erick Bretz, de 28 anos, que foi preso nos Estados Unidos após ser acusado de agredir a ex-namorada, entrou na Justiça de Belo Horizonte com ações criminais contra a jovem, afirmando ter sido "vítima de um golpe".

O rapaz nega que tenha agredido Melissa Gentz, que havia se mudado com ele para os Estados Unidos depois de dois meses de namoro. Os dois haviam se conhecido em um uma escola de classe alta da capital mineira.

Melissa postou nas redes sociais vários áudios e vídeos com agressões e ameaças de Erick. Ela relatou à TV Globo o que ocorreu no último encontro do casal, em 23 de setembro de 2018, quando o rapaz foi preso por violência doméstica e dano corporal:

"Eu tive que fingir que estava morta para ele parar de me bater, parar de me estrangular. E quando eu parei de mexer e segurei minha respiração ele me largou no chão e chutou minha cabeça. Assim que ele saiu do quarto, eu levantei, consegui tomar o celular dele, entrei no banheiro e fui ligar para a polícia", detalhou.

Já Erick alega que a jovem "provocou uma briga" e que ela afirmou que estava prestes a cometer suicídio naquela ocasião.

"Eu estava encostado no sofá e ela falou que ia se matar, da mesma forma que já falou antes. Ela foi correndo para o banheiro, trancou a porta. Eu não cheguei a tempo antes dela trancar. Não pensei duas vezes e chutei a porta. Ela estava atrás da porta sentada e foi aí que pegou no rosto dela e gerou o hematoma", conta.

Erick Bretz esteve foi preso nos EUA há três anos por agredir a ex-namorada - Reprodução/TV Globo  - Reprodução/TV Globo
Erick Bretz esteve foi preso nos EUA há três anos por agredir a ex-namorada
Imagem: Reprodução/TV Globo

A família de Erick contratou uma perícia técnica para analisar as imagens das lesões no rosto de Melissa. O laudo dos peritos pagos pelos familiares sugere que os ferimentos foram causados pela batida na porta, como alega o acusado.

Entretanto, ele não prestou socorro à vítima e conta que foi dormir em seguida. Por isso, Melissa argumenta que o comportamento do ex-namorado foi de omissão:

"Se eu realmente estava tentando me matar por que ele não falou com a polícia para me ajudar? No mesmo dia que a polícia retornou a ligação, ele não atendeu", diz a jovem.

Nos Estados Unidos, na época do caso, Erick foi preso e pagou fiança de 60 mil dólares, cerca de R$ 245 mil na época, para responder ao processo em liberdade.

Em novembro do ano passado, a Justiça americana decidiu pela prisão dele por 30 dias.

O estudante já havia sido preso anteriormente, em setembro de 2020, por agredir outra jovem, que não deu andamento ao processo. Ele também negou a segunda acusação de agressão.

Cotidiano