PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

CE: PM atira no pescoço de jovem após denúncia de aglomeração, diz família

Pai do jovem disse que o policial desceu do carro e atirou. O tiro teria sido acidental, apurou a reportagem - Pixabay/Brett_Hondow
Pai do jovem disse que o policial desceu do carro e atirou. O tiro teria sido acidental, apurou a reportagem Imagem: Pixabay/Brett_Hondow

Ed Rodrigues

Colaboração para o UOL, em Recife

07/05/2021 22h25

Familiares do autônomo Everton Monteiro de Queiroz, 24 anos, denunciam que um policial militar atirou contra o rapaz durante uma abordagem em Fortaleza, na madrugada de hoje. O jovem cearense teria sido alvejado no pescoço e se encontra em estado grave na unidade de saúde para onde foi levado.

Familiares da vítima disseram que a Polícia Militar se dirigiu até o bairro Jangurussu para averiguar uma denúncia de aglomeração e desrespeito às medidas de combate à covid-19.

Um vídeo que mostra amigos e familiares de Everton revoltados circula nas redes sociais. Na gravação, é possível ver a movimentação de pessoas em volta de uma viatura da PM. "Mataram nosso amigo aqui", diz uma voz masculina.

Após levar o jovem ao hospital, os PMs registraram a ocorrência na delegacia local. Eles teriam alegado que foi um tiro acidental, segundo informou ao UOL uma pessoa ligada à unidade policial, que não quis se identificar.

Procurada, a Polícia Militar do Ceará se limitou a dizer "que tomou conhecimento do fato e apurará". A Corregedoria da PM não havia sido acionada até a publicação desta matéria.

"Desceu do carro com a arma na mão e atirou", diz pai

A vítima e alguns amigos estavam na rua e consumindo bebidas alcoólicas, contou o pai de Everton ao UOL. O autônomo Valdecy Queiroz disse que a viatura chegou por volta das 3h e que um dos policiais já desceu atirando.

"Ele desceu do carro já com arma na mão e atirou. Qual a necessidade disso? Se o pessoal estava errado, chama a atenção. Manda ir embora. Mas acertou o pescoço do meu filho", declarou.

"Eles mesmos socorreram meu filho, mas o tiro passou pelo pescoço e também acertou a coluna. Já disseram no hospital que o estado de saúde dele é grave. E se não morrer, pode ficar aleijado."

Cotidiano