PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Avião da Vasp que levou presidentes fica 'preso' em shopping de BH

Construções ao redor do avião estão impedindo os planos de sua retirada - Divulgação/Só Marcas Outlet
Construções ao redor do avião estão impedindo os planos de sua retirada Imagem: Divulgação/Só Marcas Outlet

Rodrigo Scapolatempore

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

24/05/2021 11h16Atualizada em 24/05/2021 11h41

Um avião da extinta Vasp que já transportou presidentes da República está preso sem possibilidade de remoção em um outlet em Contagem (MG), cercado por um auto-shopping. A aeronave foi uma das primeiras deste porte a voar na América do Sul, mas está "presa" no local, depois de novas construções terem sido feitas à sua volta.

A carcaça do Boeing 737-200, de 59 anos, seria transferida para o teto de outra sede do grupo, no bairro Belvedere, região sul da capital mineira, onde ficaria exposta para quem chega da BR-365, do Rio de Janeiro. O avião também seria utilizado como uma espécie de museu, depois de uma customização no interior que abrigaria fotos e história das personalidades que voaram nele.

Inicialmente, o mais difícil aconteceu. A Prefeitura de BH chegou a autorizar a transição para a cobertura do outro shopping, que fica no complexo da Serra do Curral, tombada.

No entanto, um estudo técnico concluiu que agora a carcaça não pode ser deslocada. Isso porque, ao longo dos últimos anos, novas estruturas anexadas ao empreendimento, que hoje abriga um complexo de lojas de carros, foram construídas no entorno da aeronave.

avião - Divulgação/Só Marcas Outlet - Divulgação/Só Marcas Outlet
Imagem: Divulgação/Só Marcas Outlet

15 novas lojas e alguns galpões extras em volta das asas de quase 30 metros de envergadura e do tronco de 30 metros de comprimento impedem que o avião faça seu último "voo".

A transferência era prevista com o desmonte parcial da estrutura, que iria dentro de carretas. Depois, o avião "aterrissaria" com a ajuda de guindastes no alto do BHOutlet, no Belvedere.

O que diz o grupo

O grupo que controla os dois outlets confirmou hoje ao UOL que recebeu o aval na semana passada do Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural (CDPCM-BH), mas disse que cancelou a transferência por falta de viabilidade técnica e financeira na remoção.

"O avião ficou em uma posição que nos impede. Consultamos um engenheiro do Aeroporto de Guarulhos (SP) e as opções são inviáveis. Teríamos de sair abrindo o shopping ou cortar literalmente a aeronave toda, uma operação muito difícil e um custo alto que não faz sentido mais", explicou Mário Valadares, empresário à frente dos dois empreendimentos.

História da aeronave

O avião, com capacidade para 100 passageiros, foi arrematado pelo empresário em leilão, por R$ 72 mil. A carcaça da Vasp estava abandonada no pátio do terminal aéreo em Guarulhos, já sem os motores.

Segundo a Infraero, a aeronave histórica foi a primeira de quatro Boeings adquiridos na América do Sul a voar e a transportar passageiros.

Os aviões 737-200 foram dos mais produzidos no mundo e chegaram ao Brasil em 1969. Este exemplar foi adquirido junto com outros três pela extinta Vasp. Conforme relatado no memorial descritivo da Infraero, uma multidão assistiu ao primeiro voo desses quatro Boeings 737-200, os primeiros da América do Sul.

O atual projeto, previsto com a aguardada transferência, era de usar o avião para uma exposição provisória de um ano com a criação de um Museu do Avião. Nos corredores e assentos ficariam estátuas representando os presidentes e personalidades que utilizaram a aeronave.

Cotidiano